RSS Feeds



« anterior próximo »

Comentários


Comentários

Flávio enviou em 15/03/2010 as 21:20:

É verdade... ainda teve um jornal que estampou em sua capa nesse domingo com o título: O reino proibido de Adriano ou qquer coisa parecida com isso... é muito sensacionalismo, golpe baixo, mas por um lado é bom mostrar a todas as pessoas que seus " ídolos" não são deuses... eles tem sim, muitas falhas de caráter,defeitos, até msm pior do que possamos pensar... Às vezes é bom desmascarar essas pessoas... deveriam fazer isso com políticos conhecidos, tais como governadores, prefeitos....

João Buzios enviou em 15/03/2010 as 21:26:

Concordo plenamente, o que o Love tem a dizer que na favela tem traficantes e bandidos? Quanto ao Adriano adorei o que um comentariasta da Band News disse, na frente Deus perdoe essas pessoas ruins! e atrás: Com quem eu ando! Essa foi muito boa!

Roberto enviou em 15/03/2010 as 21:34:

Marcelo, você tambem anda no meio da bandidagem, tem amigos traficantes, e participa de festas patrocinadas pelos traficantes? Você quando está em ipanema, pede segurança para a policia, e quando está lá no morro gosta de ser escoltado por bandidos? Que tipo de pessoa é você? Que defende bandidos e amigos de bandidos. Esse tal de Love deveria ser condenado por associação ao trafico. E você deveria ser tambem condenado pelo mesmo crime por defender isso tudo.

Roberto enviou em 15/03/2010 as 21:49:

Se o governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral e o prefeito carioca Paes forem filmados em uma festa na Rocinha ao lado da bandidagem, sendo escoltados por traficantes armados até os dentes, e depois aparecerem no Jornal da Globo dizendo de cara limpa que é muito normal ter amigos bandidos, ir as festas organizadas pelos traficantes e que também não há nada de mal em conviver pacifica e amigavelmente com os bandidos, pois desde que governador e prefeito eram criancinhas o crime canta nos morros. Seu raciocínio é muito coerente. Típico de alguém que não tem mais a mínima noção para que direção o vento sopra.

Andre Almeida enviou em 15/03/2010 as 21:56:

Vincula-se na mídia uma propaganda relacionada ao PROUNI onde o interlocutor diz que o conteúdo adquirido na faculdade através da sua formação será usado em prol da sua comunidade. Como os formados e formandos em Direito, Medicina, Educação, Engenharia, etc estão sendo recebidos e serão recebidos pelas sua comunidades? Se tivéssemos uma política pública nos moldes hoje concebidos (cotas, prouni, etc...) poderíamos viver em uma sociedade mais justa e menos violenta. Agora, como são realizados os ensaios de escola de samba nas comunidades, onde os frequentadores assíduos são celebridades? Alguém já parou para pensar? Nunca foi noticiado algo semelhante! Porquê? Tem muita gente boa do mundo artístico que é chegada a um pó e um trago na maconha! Ninguém fala nada!?!? Várias celebridades frequentam bailes Funk! E aí? Depois dizem que este país não é preconceituoso? Pegaram ambos como "boi de piranha". Prova de uma Sociedade hipócrita. De um Estado que não é e nunca será nação, pois os interesses pessoais sempre prevalecerão.

Júlio enviou em 15/03/2010 as 23:43:

E aqueles rumores que ouvimos de gente que trabalha em certa rede de televisão, de que uma grande quantidade de cocaína e outras drogas circula diariamente em seus estúdios e redações, alimentando narizes vorazes de atores, editores, repórteres, etc? Ora, obviamente sabemos todos, pessoas inteligentes, que tratam-se apenas de boatos. Ps: Acabo de ouvir no rádio que, de fato, Vagner Love terá que "prestar esclarecimentos" na polícia.

ana cristina enviou em 15/03/2010 as 23:46:

excelente e oportuno texto.

Paulo Malária enviou em 16/03/2010 as 00:03:

Po, Marcelo, com todo o respeito, mas a galera está caindo em cima da duplinha do "império" não é por eles serem negros, nem por serem favelados: é por jogarem no Comando do Mal, o time ladrão, que compra juiz e rouba títulos dos outros. Veja o caso do Dodô. Ele também é negro e perdeu dois pênaltis no último jogo. Mesmo assim, seu "feito" está sendo debochado com respeito (???). Porque ele joga num time que, se ganhar, terá ganho na bola, e por sinal foi bem roubado contra o comando. O meu time tem por hábito acolher jogadores que tiveram problemas com álcool e drogas, e dar-lhes uma nova chance. Há poucos anos, nós contratamos um zagueiro que o seu time havia jogado no lixo porque foi flagrado com maconha, e o reabilitamos. Ah, era negro também: o Renato. Vê então que a coisa não é bem por aí. Só gostaria que os "índolos" do Comando do Mal que frequentam baile funk tivessem que fazer exame anti-doping também, aquele mesmo exame que afastou o Jobson (também negro, também de origem humilde) do futebol por 2 anos. Daqui a 2 anos ele volta a jogar - no Fogão, é claro. Abração.

Betão enviou em 16/03/2010 as 01:07:

Aproveite então esta sua indignação e faça-nos uma gentileza; deixe seu emprego de jornalista e vá vender biscoitos na praia, porque este seu artigo foi de matar heim!!!

paulo henrique enviou em 16/03/2010 as 05:59:

disse tudo valeu

Marcos enviou em 16/03/2010 as 06:25:

Meu irmão, nasci no Engenho da Rainha. Visito o bairro, participo dos movimentos culturais, tomo minha cervejinha com os meus amigos. Não vejo necessidade nenhuma de ir a baile funk ou fazer uma visitinha no morro para ver os outros "amigos". Os dois são figuras públicas, ídolos de milhares de jovens. Praticar esportes e tomar um "yogurt" todo dia é inconcebível, deixar de honrar o seu compromisso com o clube e com os torcedores porque "saiu na mão com a mulher". Na Vila Cruzeiro é tão bom que ele tirou a mãe e a avó de lá. A imprensa também só serve para dar glamour? Qual o artista ou jogador de futebol que não quer ser capa de revista ou primeira página? Lembra do filme Cidade de Deus? Até bandido gosta...

cleber zeferino enviou em 16/03/2010 as 07:09:

Não existe imprensa isenta no Brasil. Por trás de toda notícia há um interesse qualquer. Alguma coisa está acontecendo entre esse jornalista de O Dia e o Flamengo. Esse jornal passou mais de uma semana publicando uma notícia de pedofilia, como se o clube tivesse culpa do comportamento de um funcionário. Agora esses casos com o Adriano e o Love. Muitos artistas globais, políticos, jornalistas e socialites vivem em festinhas regadas a pó, mas não são nas favelas, são na zona sul do Rio, em casas e apartamentos. Muitos são amigos de traficantes, não do dono da boca, mas do traficante de gravata que circula neste meio. Parabéns Marcelo, poucas são as vezes que concordo contigo. Você cresceu bastante na minha avaliação.

Beto enviou em 16/03/2010 as 07:35:

O assunto exige pouca conversa e muita reflexão. Jogadores de futebol são mais cobrados pela IMPRENSA do que o Presidente da República e os politicos de Brasilia. Incoerência total.

Luiz Alberto Viana enviou em 16/03/2010 as 07:35:

Sr. Migliaccio, o senhor está aproveitando estes acontecimentos para ficar bem na fita com os torcedores do Flamengo, apenas isso. Sugiro que o senhor leia a lei nº 11.343/2006, principalmente os artigos 36 e 37 e depois reflita. Estes inconseqüentes em minha opinião deveriam estar presos não por serem amigos de traficantes, mas sim pelo péssimo exemplo que passam aos ainda em formação (crianças e adolescentes), além disso, a instituição Flamengo não merece ter seu nome e imagem ligada, mesmo que indiretamente, a traficantes ou qualquer outro tipo de marginal. Eu, o senhor e todos os cidadãos sérios temos o dever cívico de protegermos as crianças e os adolescentes, conforme nos orienta o Estatuto da Criança e do Adolescente. Eu com estas humildes palavras penso esta fazendo o que me cabe!

Leonardo enviou em 16/03/2010 as 08:02:

Pô, coitados desses animais, bêbados, drogados, participando de festas de arromba. Será que ninguém vê isso? Mas pelo menos estão bem alimentados, tantos outros nas ruas, abandonados. Esses animais merecem todo nosso respeito, afinal não sabem o que fazem. São seres que agem por extinto. Sorte deles que ganham milhões e milhões de dólares por ano.

Claudio Soares enviou em 16/03/2010 as 08:12:

Referente as palabvras de nosso amigo Luiz Alberto Viana: PARABÉNS!!! Muitíssimo coerente seus comentário!!! Jogadores de futebol são, como todos sabemos, exemplo para nossas crianças, principalmente as mais carentes!

paulo de moraes enviou em 16/03/2010 as 08:45:

Mais uma vez o blogueiro perde a linha e se confunde com as próprias palavras.Condena hoje aquilo que no passado defendeu.Se perde na própria falta de argumentação e não consegue expressar claramente sua posição.Lamentável!!

MARIZE BRANQUINHO enviou em 16/03/2010 as 08:53:

FLAMENGUISTA É IGUAL AO PT. NÃO ACEITAM NADA QUE NÃOSEJA SUAS PATIFARIAS. FALA SÉRIO. VOCÊ PODE SER BANDIDO, DESDE DE QUE FAÇA GOL.

Pietro enviou em 16/03/2010 as 09:19:

Fiquei com peninha... ahauhauahuuahuaua só rindo.

Ricardo enviou em 16/03/2010 as 09:23:

Só falta defender o Goleiro Bruno que acha normal bater em mulher e o Próprio Adriano que amarra a própria noiva em árvore....

Tanapraia enviou em 16/03/2010 as 09:29:

Qual das opções abaixo você marcaria como inaceitável? 1) Existência de comunidades dominadas por traficantes armados até os dentes; 2) Dar-se importância demais ao futebol e jogador quase analfabeto ganhar milhões; 3) Imprensa endeusar e/ou execrar figuras públicas, fugindo ao compromisso com a isenção e o equilíbrio na informação; 4) Blogueiro publicar posição controversa só para causar polêmica; 5) Todas as opções anteriores.

Mara Regina Leite enviou em 16/03/2010 as 09:49:

Obrigado! Você lavou minha alma. A reportagem do tal jornal foi simplesmente nojenta. O maior exemplo de "imprensa marron". Me deu engulhos ler aquilo. Parabéns, por sua análise lúcida, sem hipocrisia. Realmente Adriano estava certo em ostentar na camisa a frase "Que Deus, perdoe as pessoas ruins".

Rafael enviou em 16/03/2010 as 09:55:

É incrível que a intimidade e a vida privada de qualquer pessoa sirva para alimentar a curiosidade (e porque não a perversidade) alheia. O fato é que há audiência para essas reportagens, e justamente por isso são apresentadas. Como pode um veículo de comunicação ser AMORAL? Antes de começar a ouvir os latidos aumentando de volume, pensem: a autoridade policial quer esclarecimentos. E ponto. Isso basta. É ela que verificará se a conduta de alguém é tipificada em lei ou não. George Orwell foi um grande visionário.

Ana enviou em 16/03/2010 as 10:19:

Meu caro, gosto de ler sua coluna para ter certeza de que estou na linha certa de pensamento, porque as suas colunas são tão estapafúrdias e o Sr. defende idéias tão hipócritas que, ao lê-las, me dou conta que ainda sou uma cidadã respeitável e com idéias ainda lúcidas sobre os acontecimentos diários. Já o Sr. é o legítimo "passa a mão na cabeça e ajeita tudo". Ridículo. Fez faculdade pra isso? Mora nesse mesmo Brasil que eu moro? Considere a idéia de vender água de coco na praia.

Alfredo enviou em 16/03/2010 as 10:38:

Pisou na bola, Marcelo. Defender bandido, amigo de bandido, já é demais. Você deve estar cansado e deveria tirar umas férias. Senão, em breve, você estará trabalhando pro "Biscoito". Cabeça no lugar, rapaz. Estes caras sao bandidos e o clube deles - seu também, parece - uma penintenciária protegida para Grobo. Vê se te manca!

CID SANTOS enviou em 16/03/2010 as 10:39:

Não consigo entender como existem pessoas que perdem o seu tempo lendo as "baboseiras" que esse senhor escreve. Ele consegue estar sempre do lado errado. Se a intenção do jornal é irritar os leitores, esse é o caminho, vá em frente!!!. MIGLIACIO POR MIGLIACIO EU SOU MAIS O FLÁVIO( O "O TIO MANECO",ATOR DE VÁRIOS PROGRAMAS INFANTIS). MIGLIACIO, PAREI CONTIGO, ALIÁS NEM COMECEI.

Alfredo enviou em 16/03/2010 as 10:40:

Aliás, o cheirador quis dizer: "Que Deus perdoe as pessoas ruins ... com quem ando!"

Diogo enviou em 16/03/2010 as 10:42:

Concordo com o post do caro amigo. Que tal começarmos a fofocar sobre as atrizes, dançarinas e figurantes da globo que fazem Programas de Luxo ?? Aposto que todo mundo já ouviu uma história sobre uma famosa que se vende por altos cachês, eu já ouvi várias!!! Deixem os favelados em paz !! Todos tem telhado de vidro então parem de jogar pedra para cima!!

Renato Gonçalves enviou em 16/03/2010 as 10:43:

Marcelo, concordo com você em gênero, número e grau. Apesar de flamenguista, não morro de amores por algumas atitudes de Adriano que considero anti-profissionais como faltar aos treinos por exemplo. Porém vejo um exagero esse patrulhamento em cima dele e de outros jogadores do clube. O interessante é que o mesmo jornaleco que publicou a tal reportagem da tal festinha regada a sexo foi o mesmo que na segunda-feira publicou foto enaltecendo o jogador que nem jogou tão bem assim. Acho que, se os jogadores cometeram algum crime devem ser denunciados assim como todos os que estavam junto com eles. Senão deve-se deixá-los trabalhar em paz. Abaixo a hipocrisia!!!

sergio silva enviou em 16/03/2010 as 10:43:

Artigo muito bom. foi ao âmago da questão,ou seja, preconceito e hipocrisia . O modo como a mídia trata os dois jogadores, cuja origem é humilde, é o reflexo de uma elite conservadora e burra querendo impor aos brasileiros sua forma de pensar e, também, do Estado, cujo papel é de promover a qualidade de vida a todos.

Luiz Zandiano Costa enviou em 16/03/2010 as 10:52:

Triste. Mais um defendendo o direito de ser bandido (mas que não mora na favela - como aqueles que defendem Cuba, mas que sentam em seus sofás confortáveis dos apês de Ipanema). Tráfico já deveria, no Brasil, ser caso de segurança nacional. Polícia é pra defender o cidadão e não ficar se ocupando com crimes de natureza que cabe ao governo federal coibir. Como disse um presidente sul-americano: "...já é hora do presidente Lula chamar para si a responsabilidade e convocar as FA para acabar com essa situação no país." Lamentável, a posição do jornalista. Não disse absolutamente nada, mas contribui grandamente para "melhorar" a condição do negro-pobre-favelado - sim, estes mesmos que são bisnetos de escravos e que até hoje usam isto como desculpa para a inércia social. Continuem a tocar muito tambor, muito pagode e axé e salve a "mama áfrica!".

Fernando Barretto enviou em 16/03/2010 as 10:59:

Corretíssimo o comentário. Muitos dos que criticam Adriano e Vagner Love aceitariam, de imediato, um convite para jantar na casa do José Roberto Arruda. O Brasil tem suas fórmulas mágicas de factóides: pega uma figura conhecida e/ou não grata pela população, acrescenta uma fonte (jogador, empresário, um depoimento - não importando que esta pessoa seja da pior lavra), algum dado chamativo (mãe de traficante, gastou 1 real ganhou xxx milhões) e pronto tá feita a execração pública. Não precisa investigar, confirmar, verificar veracidade. Basta alguém disposto a acusar, pois depois tudo passa...Quem se lembra do que passou Alceni Guerra em 1992? Ou o pessoal da Escola Parque? Qual seria a sua reação ao chegar na sua comunidade e ver traficantes armados? Manteria boa vizinhança ou lideraria uma cruzada quixotesca contra eles?

Paulo Malária enviou em 16/03/2010 as 11:06:

Se eu tivesse nascido na favela e conseguisse me tornar rico como esses jogadores, voltaria ao morro para visitar parentes e amigos, mas nunca para baile funk. Trata-se de uma orgia de bandidos onde, se o trouxa der mole, acaba que nem o português da suruba: "já me enrabaram 3 vezes e ainda não comi ninguém...". Estes caras chegam lá pensando que estão abafando, mas favela é outro país. Depois que você cruza uma linha imaginária bem definida, quem manda é o trafica, e não tem essa de jogador famoso. Se no meio do baile funk o bandidão achar que o artilheiro tem a bunda redondinha... Tás entendendo? Não tem conversa! Vai lá pro canto e créu, créu, créu! E isso já pode ter acontecido várias vezes! Este é o ponto de estranheza que está fazendo os jornais investirem no assunto, não propriamente a associação do "império do amor" com o tráfico, até porque o flamengo há vários anos não faz exame anti-doping quando o jogo é no Maracanã, é o único time do mundo com essa prerrogativa, nunca ninguém vai poder provar nada.

Alexandre Adubo enviou em 16/03/2010 as 11:24:

Na minha comunidade também tem muito bandido e todo mundo sabe quem são. Mas eu não ando com eles. Mesmo os que foram meus amigos de infância. Se eles fossem crianças que não soubessem discernir o certo do errado. Todos eles sabem, e optam por seus estilos de vida. Não me venha com essa história mentirosa de que não tiveram escolha. Todos tiveram e as jogaram no lixo. Inclusive os dois coitadinhos. Quantos saíram ou vivem no morro e levam vidas dignas? Ou todo mundo é obrigado a ir em festa de traficante? Ou permanecer amigo de traficante. O formador de opinião tem uma responsabilidade muito maior, se torna responsável pelo futuro de crianças. Transcende até o material, mas isso é só prá quem tem fé no superior. Talvez seja esse o ponto de tudo. Mas aí perde-se a razão. Antes assistir o lixo do big brother do que promover barracos públicos, dar glamour a bandido ou defender desajustados. Seu texto parece de um maconheiro classe média alta do Brasil, cara "experto do rio" que depende desses facínoras prá fumar a sua droga.

Rita enviou em 16/03/2010 as 11:27:

Bravo!!! Aplaudido de pé!!!

rONALDO DA sILVA enviou em 16/03/2010 as 11:46:

Parabens pela reportagem,todos nós estamos revoltados pelaforma covRDE QUE FIZERAM COM SERES HUMANOS QUE VIERAM DA FAVELA,SÃOESSES JORNALISTAS QUE PRECISAM A RESPEITAR OS OUTROS ,TALVEZ NÃO TENHAM COMPETENCIA E ÉMAIS FACIL ATACAR O FAVELADO,QUERO VER SE METER COM OS BICHEIROS,BANDO DE SAFADOS

Amauri enviou em 16/03/2010 as 11:52:

É pura palhaçada, é o tipo de ação que faz eles aparecerem no noticiário, ganhando notoriedade em cima das pessoas famoasas. Se querem que eles não sejam vistos com traficantes, por que não acabam o com o tráfico no lugar, por que são incompetentes e sabem disso. Essa atitude é só para dar uma satisfação a siciedade hipócrita que acha que em comunidades só tem bandidos, não existe gente de bem.

Rodrigo Veloso enviou em 16/03/2010 as 11:52:

O delegado é vascaíno...

Paulo Henrique Dantas enviou em 16/03/2010 as 12:02:

Sem palavras. Você sintetizou tudo que eu vinha pensando sobre estas notícias. Parabéns!!

Brasileiro enviou em 16/03/2010 as 12:13:

Mais um Grande texto...um dos melhores que já li...

danilogo enviou em 16/03/2010 as 12:22:

as pessoas têm o direito de ir e vir onde quiserem, de ser ou não ser e fazerem de seus corpos o que quiserem e de ter seu livre-arbítrio preservado. a questão é o que a imprensa faz da individualidades de alguns em detrimento de suas qualidades profissionais, que no no final das contas é o que interessa, mas são ultrapassadas pelo que de mais mesquinho existe no julgamento moral da patuléia. é uma lástima que a população esteje a mercê do bombardeio desses mexericos e afins, escravizada a esta ração diária de mediocridades que se tornaram o combustível compulsório de suas almas esvaziadas pelos órgãos de imprensa.

Neidson Gonçalves enviou em 16/03/2010 as 12:27:

Marcelo, Eu acho que você está confundindo as coisas, é isso mesmo que você quer dizer. Andar perto e com traficante é normal? Marcelo foi esse pessoal que está carregando armamento pesado que matou o jornalista Tim Lopes. Quantas pessoas mataram esses camaradas que estavam dando segurança ao Wagner Love. Meu amigo já que você está defendendo o atleta liga para ele ir divulgar o trabalho que está sendo feito no Santa Marta e outros pontos do Rio de Janeiro que quer se libertar deste domínio do tráfico no Rio de Janeiro.

Rafael, flamengo, letrado e careta enviou em 16/03/2010 as 12:36:

Marcelo, lendo os comentários posso dizer que entendi a frase "quanto mais conheço os humanos, mais gosto do meu cachorro". Triste da criança que tem em jogador de futebol um exemplo de vida. Os meus, são os meus pais. Felizmente meu pai, que é mestiço, não é famoso, pois saiu da favela para uma casa no Joá TRABALHANDO, assim como o Adriano (se fosse cheirador, o antidoping pegava..) e o Love! Se fosse famoso, minha mãe seria puta, eu e meus irmãos viciados, meu sobrinho (5 anos) teria uma DST... Grande Tom Jobim, que disse: No Brasil, sucesso, é ofensa pessoal...

Pedro enviou em 16/03/2010 as 12:37:

Meu amigo, uma pessoa popular, do bem, mesmo que tivesse nascido na favela, tem que dar "Bons Exemplos Sempre". Se ele fosse tão bom assim, teria financiado com o dinheiro que repassa aos marginais um belo centro de recuperção para a comunidade, que ao invés de pistolas, fuzis e bazucas, carregariam livros, cadernos, carteira de trabalho e diplomas...isso sim seria o melhor exemplo que uma pessoa famosa, rica e "do bem" faria...me desculpe, mas dicordo totalmente de vc...

paulo de moraes enviou em 16/03/2010 as 12:38:

Paulo Malária enviou em 16/03/2010 as 11:06. De tanto assistir ao seu time de coração ser enrabado em campo, sonha em ver os algozes assumindo seu papel.Ou será que, metáforas a parte, quer mesmo é ser "abafado pelos crioulos"?

Lucia enviou em 16/03/2010 as 12:46:

Todos tem direito de ir e vir, e quando se trata de pessoas normais que não renegam a própria origem, são criticados e o taleto esquecido, esses atletas só nos dão alegrias e é só isso que deve ser comentado.

Franz Ostwald Corbal enviou em 16/03/2010 as 12:52:

Caro Marcelo, respeito sua opinião, mas não concordo de maneira nenhuma com ela. Uma coisa é a questão das afirmações caluniosas dos jornais, que tem que ser duramente criticadas. Outra coisa é a questão ÉTICA, que estes senhores, que são ricos e famosos, verdadeiros EXEMPLOS (bons ou maus?) para muitas crianças, sejam faveladas ou não, que vêem os ídolos se misturarem com traficantes, bandidos, e achando tudo normal... Como diz o ditado, diga-me com quem andas e te direi quem és! Lendo seu artigo, fica a impressão de que se a pessoa tem uma origem humilde, principalmente se for negro, teria um salvo conduto para fazer o que quizer quando ficasse rico? A resposta é NÃO! Tiger Woods que o diga. Bola fora meu amigo, primeira vez que discordo frontalmente com um artigo seu.

MCM enviou em 16/03/2010 as 12:57:

jornalista meia-boca... e frameguista...

gabriela enviou em 16/03/2010 as 13:03:

Caro Migliaccio, não há nenuma dúvida de que vivemos em uma sociedade preconceituosa, tanto em termos sociais quanto raciais. Agora, a meu ver vc também comete esse pecado em relação ao Adriano, ao tratá-lo como se fosse um coitadinho incapaz de medir seus atos. Qualquer pessoa, vc e eu inclusive, teria sérios problemas na carreira se faltássemos inúmeras vezes o trabalho e desaparecessemos por dias, como ele já fez. Antes de vir para o Flamengo ele simplesmente abandonou a Inter de Milão, depois negociando uma rescisão amigável de contrato. Quando isso ocorre com uma pessoa pública, a dimensão é obviamente muito maior. Conheço um monte de gente que cresceu pobre e que mora em favela e nem por isso age de forma anti profissional. Ademais, vale registrar que o sensacionalismo, concordo, totalmente condenável, não se restringe a pobres e negros, quantas e quantas celebridades brancas e ricas não aparecem em escândalos ou pseudoescândalos? Não me importo com a vida pessoal dele, mas dá pra dizer que ao se meter naquela confusão e perder um jogo da Libertadores, o principal objetivo do Flamengo, ele não foi irresponsável? É errado criticá-lo por isso? Pq se eu tivesse essa atitude, mesmo que no final tudo desse certo pra minha empresa, tomaria um belo esporro. só não sairia no jornal...

Claudio Soares enviou em 16/03/2010 as 13:49:

Joagador de futebol ou qualquer pessoa pública que achar que deve manter amizade com traficantes devem ficar ciente que serão cobrados disto. Não se esqueçam que jogadores são exemplos para muitas crianças, principalmente a menos abastadas, portanto devem cuidar de sua imagem perante seu público

Marcelo B. Fernandes enviou em 16/03/2010 as 14:03:

É inquestionável que o uso inadequado da bebida alcoólica é prejudicial à performance dentro e fora de campo do atleta (relações interposseoais e condicionamento físico e técnico). Também é incompatível a cena de duas pessoas (c/ o agravante de serem pessoas públicas e queridas por uma multidão) na companhia de contaventores, perversos e armados c/ objetos letais cmo se ñ houvesse problema algum. Certamente o lugar de se relacionar não é na rocinha - reduto dos maiore criminosos do R. J. Por favor!

sergio costa enviou em 16/03/2010 as 14:08:

Parabéns por sua excelente visão da hipocrisia de alguns "coleguinhas" jornalistas. Esquecem-se de perguntar quantos de várias redações consomem drogas em suas festas privê, porém sem nenhuma culpa, afinal eles são os jornalistas da mais pura verdade e da mais nobre transparência, assim como José Luis Datena, da Band. Parabéns.

Ricardo enviou em 16/03/2010 as 14:34:

Leitor assíduo de sua coluna aos domingos no JB, confesso que me decepcionei com o comentário sobre o comportamento desses jogadores que, sem dúvida, servem (ou deveriam servir) de exemplo pra milhares de crianças no Brasil. E que exemplo estão dando!? Como se já não bastasse o caso do Ronaldo com as "andréas", agora esses dois com traficantes. Seja preto, branco, rico, pobre, político, jogador de futebol, jornalista, ator/atriz... a verdade é uma só: DIGA-ME COM QUEM ANDAS E EU TE DIREI QUEM ÉS !! Pobre país que tem esse tipo de gente como ídolo.

marcos enviou em 16/03/2010 as 14:52:

são raras as vezes que perco meu tempo lendo a coluna do jornalista (?) e quando faço, fico mais convencido que seus textos em nada se identifica com o Jornal do Brasil e sua trajetória histórica. Pudera ele um dia levantar-se e também crer nisso, pedir as contas e escrever para aqueles outros...tipo "pra um bom leitor meia hora basta". Claro, ele tem um espaço e pode escrever o que lhe vier à mente, inclusive dizer que as críticas vem de um bando - ele também não é seletivo no vocabulário - de hipócritas, etc. Passarei mais um longo tempo sem perder meu tempo.

Kleber Almeida enviou em 16/03/2010 as 14:53:

De fato não cabe a nínguem julgar o próximo, condená-lo sem provas, etc, etc, etc. Porém pelo simples fato de ambos serem jogadores de futebol BEM SUCEDIDOS, eles se tornam alvo constante de especulações e boatos, tudo o que fazem com suas vidas particulares é divulgado, são acompanhados por reporteres, torcedores e sabe-se deus quem mais, logo, tem sim que se preocupar com os locais que frequentam, com as companhias que mantem. Não quer exposição na mídia, faça como outros jogadores igualmente ou até mesmo mais famosos e mais bem sucedidos e viva uma vida discreta. Não digo que tem que fugir da origem humilde, mas evitar certas situações, como ir a um baile funk e ser escoltado por um bando de bandidos armados, promover festas na favela sempre que sobra uma brechinha (ou não ) na agenda. enfim, é perfeitamente possível administrar, fama, dinheiro e sucesso com as pessoas que conhecem desde que eram pobres desconhecidos nestas comunidades. Não querem atenção e exposição na midia, existem duas escolhas. Aprenda a viver de uma maneira que seu nome não seja envolvido com tudo quanto é rolo que acontece ou largue o futebol e vá viver uma vida de playboy sem compromisso com absolutamente nada. Da um tempo ficar falando que fulano e cicrano estão sendo perseguidos e sendo vítima de perversidade da mídia. Estão apenas colhendo as consequencias de seus atos, e como são pessoas PUBLICAS, tudo o que fazem de certo ou de errado, invariavelmente é noticiado.

maria candido enviou em 16/03/2010 as 14:58:

Realmente é hora de deixa-los em paz! basta com essa palhaçada de drogas! Adriano e vagner sao dois jogadores maravilhosos e é isso que interessa.

Bruno enviou em 16/03/2010 as 15:01:

Bom, pelo menos uma abordagem diferente do caso. É interessante notar como é uniforme o tartamento que a mídia em geral da a esses casos. E a maioria das pessoas, sem o mínimo de reflexão, reproduzem o discurso midiático. Não sei se isso que vem acontecendo em relação ao Adriano, e agora ao Love, tem haver com "elitismo". Talvez seja uma características dos grandes veículos de comunicação. A proposta dessas empresas é vender. Aproveitam-se dessa necessidade , no mínimo estranha, que as pessoas tem de querer saber, participar, emitir juízos, a respeito da vida de terceiros. Os BBB´s provam o sucesso desse tipo de estratégia. O pior de tudo é transformar isso tudo numa discussão nacional. Enquanto na Grécia antiga se discutia a melhor forma de se organizar e gerir a "pólis", isto é, a comunidade política, hoje há uma preocupação em discutir a vida alheia. Gosto muito de futebol, porém pouco me importa a vida particular dos jogadores. Uma emissora de T.V transformou o caso numa propaganda contra o alcoolismo, chamando atenção para a necessidade de termos atletas, que são ídolos nacionais, como referêncial moral. Esqueceram de avisar aos produtores do programa que antes de atletas eles são "humano(s), demasiado humano(s)". Pq não divulgar também, se é esse o caso, o nome de figurões da música e atores de novelas, fora diretores e companhia, que cometem os mais variados excessos, inclusive com drogas ilicitas? É lamentável que usemos um espaço tão importante como a televisão e o jornal impresso para ressaltar as peripécias da vida particular de um indivíduo. Mais idiota é mergulhar-mos nessa onda. Enquanto nos imiscuímos nessa patifaria toda, os gestores públicos fazem o que bem entendem com o patrimônio público, ou seja, cagam na nossa cabeça. Recentemente escrevi um comentário criticando a postura de um dos responsáveis por um blog esportivo aqui neste jornal. Ele reproduzia a mesma lenga, lenga a respeito do jogador Adriano. Enfim, o jeito e esperar até o próximo candidato ao "paredão"...

Bruno enviou em 16/03/2010 as 15:08:

Obs: Se só estar numa favela com bandidos armados é assinar o atestado de criminoso, todos nós, seguindo esse critério, somos também criminosos, pois estamos convivendo com políticos corruptos, que roubam e cometem os mais variadois desmandos com o dinheiro público, e não tomamos partido algum em relação a isso.

Fabiano enviou em 16/03/2010 as 15:10:

Mais uma vez um excelente post. Parabens.

dominike enviou em 16/03/2010 as 15:15:

Marcelo, achei muito interessante o teu ponto de vista sobre o comportamento da imprensa no caso do jogador Love! E acho que vc tem toda razão de dizer o que disse. Inclusive, acho que está certíssimo em preocupar-se e em denunciar abertamente, êsse abuso, êsse crime e essa conduta vergonhosa de certos colegas de imprensa. A final de contas, ao teu ver, onde estão os fatos que comprovam, ou, que justificam a matéria. Nestes termos, deixa de ser um trabalho dígno de imprensa, de informação honesta e profissional. E passa a ser simplesmente, uma trama de fofoca, fuxico, covardia, discriminação, parcialidade e racismo. Desta forma, o nome da imprensa apenas está servindo para esconder a canalhice. Quem pode dar crédito ao disse-me-disse! Isso nunca foi, nem nunca será imprensa! Para o nosso próprio azar, hoje em dia, qualquer um pode escrever notícia, publicar matérias com o nome de imprensa. Qualquer um pode ser reporter, qualquer um pode ser jornalista. Acho isso, ridículo. Concordo com vc, em que a imprensa em mãos criminosas, pode ser uma arma letal. A impunidade da mídia é outra barbaridade aceita pacíficamente, no mundo de hoje. Simplesmente, não existem regras nenhuma, nem limites nehum para o trabalho da imprensa. E se existe, não sai do papel. Ninguém está nem aí. Isto está errado Marcelo. Não deveria ser assim. A vida dos outros merece respeito e a consideração de todos, seja quem quer que seja. Há pessoas se escondendo atráz da imprensa, para simplesmente, apunhalar desafetos pelas costas e sair impunes. Dar vazão a instintos malígnos e fazer fofoca e fuxico da vida dos outros. Vc sabe muito bem disso. Agora, quanto à conduta do jogador, vc vai me desculpar, mas a meu ver, ele tem que repensá-la! Não há como alguém se tornar uma grande estrela neste mundo, e ignorar as mudanças na vida, que a fama tráz. Ignorar isso, a meu ver, não é simplicidade, é burrice mesmo. Se esse jogador não mudar a sua maneira de pensar em relação ao seu convívio social, a sua forma de se comportar, as suas atitudes em relação ao público e à imprensa, o quanto antes possível, êle terá uma carreira muito curta. E os maconheiros, os parentes, os amigos de favela e os grupos armados nada poderão fazer por êle. Infelizmente, a vida lhe impoe escolher entre a favela e a carreira da fama.

Fernando enviou em 16/03/2010 as 15:19:

Caro Marcelo, parabéns pelo texro indignado. Eu me solidarizo com você contra a hipocrisia e a crueldade humana. Outro dia fui no blog do Reinaldo Azevedo, e fiquei completamente estarrecido pela moral do blogueiro e de seus seguidores.

Enio Figueiredo enviou em 16/03/2010 as 16:40:

"Jornal 'O Dia' traz novas evidências do envolvimento do Imperador com chefe do tráfico de drogas" (notícia de hoje 17/03) E aí Marcelo ???

DLP_zoi enviou em 16/03/2010 as 16:50:

você sabe pouco sobre o Adriano, nao que eu saiba muito, mas conhecidos ja o viram andando armado pela vila cruzeiro por exemplo. ja ouvi dizer que foi visto até trocando tiros, mas que como não foi filmado não podem provar. criticar isso não é elitismo, pois tem gente nas favelas que não se envolve com isso

Miguel Lannes Fernandes enviou em 16/03/2010 as 16:58:

O único comentário que posso fazer é pra te dar parabéns pela lucidez. Não se envergonhe de ser jornalista. De fato a imprensa brasileira é lamentável, mas como você mesmo disse: "salvo honrosas exceções". Abraços!

Elson de Azevedo enviou em 16/03/2010 as 17:08:

Excelente matéria. Concordo plenamente que a culpa não é do Adriano ou Vagner Love. O delegado da área deveria se envergonhar e ir com todo o aparato policial e tentar encarar aqueles traficantes. Como não tem competência para tal, achou um bode expiatório.

Ana Regina enviou em 16/03/2010 as 17:13:

Sabe que eu acho a falsa moral, porque muitos filhinhos de papai frequentam os bailes buscando não só dançar, mas também comprar drogas e nada acontece.às vezes a mídia menciona que aparecem na lista nomes de pessoas importantes, artistas e não são revelados.è muita coincidência os dois jogadores que são negros.Será que precisa tanta divulgação...Que chamem e depois de averiguar os fatos tirem suas conclusões.Não me lembro do Vagner Love, em manchetes por envolvimento estranhos.Ao mesmo tempo não estou defendendo o comportamento do Adriano, que a maioria da vezes , passa dos limites, é bom ir devagar com o andor.

Alexandre Lopes enviou em 16/03/2010 as 17:16:

Marcelo, vc foi simplesmente maravilhoso. Soh volto pro Brasil quando pelo menos 25% dos jornalistas desse pais tiverem a sua lucidez e o seu caráter. Valeu

Duilio enviou em 16/03/2010 as 17:22:

Marcelo, quem le esse artigo acha que na Imprensa soh tem mau-carater e não eh bem assim.

Andrade enviou em 16/03/2010 as 17:48:

Põ cara , só para abreviar o meu comentário, porque será que nunca pegaram no pé do Dinamite, Zico, Junior,Rivelino , Giovane e tantos outros boa indole ? voce adora criar polemica. é o tipo falem mal mas falem de mim. mas o engraçado que só vemos atualmente jogador dessa raça maldita e ignorantes e drogados do "framengo" porque lá tudo pode ,Quer saber ? que o "framengo"e a sua tocida vá e vão para as profundezas do inferno , se é que ele existe.

Arimatéa. enviou em 16/03/2010 as 17:57:

Marcelo, vai com calma na defesa dos atletas do Fla, pois já pegaram uma moto no nome da mãe de um traficante da Penha, com vários crimes nas costas, que foi comprada por Adriano em 2008 (matéria do jornal O DIA). Você pode ver que a chapa tá quente! Abrs, Ari.

Mauro Pires de Amorim enviou em 16/03/2010 as 18:09:

Quanto à questão do preconceito você tem razão, mas vem cá, significa que se fossem 02 indivíduos loirinhos de olhos azuis ou "branquinhos" não seriam criticados ou interpelados? Penso ser esta a questão, não pela cor da pele ou pela origem, mas sobretudo como cidadãos, terem a consciência de quem manda nos bailes funk e festanças públicas nas favelas é o narco-tráfico! Justamente por este fator, assim como ídolos e exemplos estes 02 cidadãos e ídolos inspiradores deveriam cuidar melhor da imagem ao invés de passarem a subjetividade de que frequentar o baile funk é inocente e descompromissado, quando na verdade não é, pois por mais que frequentadores de bailes funk não sejam complascentes com o narco-tráfico, sabem que o baile funk encobre tal atividade, tanto é assim que os traficantes de drogas usam tais eventos para desfilarem e exibirem-se com seus armamentos e suposta proteção às pessoas vips e "bem quistas", fato que de fato ocorreu com os referidos atletas. Portanto acho que meu escrito deixa no ar questões que não querem calar nem tão pouco passar mensagens ingênuas, pois os narco-traficantes não vão fazer uma revolução socialista ou modificadora da sociedade, elês podem no máximo é impor seus métodos criminosos medievalescos e iludir corações e mentes, igualzinho as grandes potências adoradoras do livre mercado e do capitalismo selvagem, uma vez que se traduzem e ostentam exatamente isso.

clau enviou em 16/03/2010 as 18:16:

Putz, Marcelo! Tá simplista...

LUIZ FERNANDES enviou em 16/03/2010 as 18:27:

ACHO QUE QUEM "PRIVA" SE REUNE, CONVIVE OU LADEIA-SE COM TRAFICANTES, OU PRATICA ATOS BESTIAIS CONTRA A "NATUREZA HUMANA", NÃO REUNE PREDICDOS MORAIS PARA JOGAR EM TIMES DE FUTEBOL E PRIMEIRO ESCALÃO. POIS SÃO EXEMPLO PARA CENTENAS DE MILHARES DE JOVENS. JÁ QUE NÃO GOSTAM DE ESTUDAR OU DE DEDICAR A "COISAS SÉRIAS", PODERIAM PELO MENOS, MANTRER CERTA COMPOSTURA. E VOCÊ MEU CARO JORNALISTA, DEVE TER ALGUM "PROBLEMA", "CRISE EXISTENCIAL" OU DEVE SER UM PETISTA COMUNISTA, POIS ADORA DEFENDER E TOMAR PARTIDO DE TUDO QUE É ERRADO E NÃO PRESTA. É POR CAUSA DE PESSOAS COMO V.SA. QUE APOIA GENTRE DESTA LAIA, QUE O RIO E O BRASIL ESTÁ DESTE JEITO! VOCÊ PODERIA LEVAR ESTES TRAFICANTES PARA MORAR COMO VOCÊ! QUE TAL A IDÉIA?

Alberto Conde enviou em 16/03/2010 as 18:47:

Não preciso mais do que uma palavra para definir o seu comentário: ESPETACULAR. Parabéns!

Marcos enviou em 16/03/2010 as 18:54:

As cenas de Wagner Love na Rocinha são um acinte, um tapa na cara dos cidadãos cariocas que estão reféns da bandidagem e do medo imposto pelo tráfigo de drogas. O referido jogador precisar lembrar que ele é uma figura pública e um referencial para milhares de meninos espalhados no Brasil.

Paulo Bruno enviou em 16/03/2010 as 18:55:

Adriano comprou uma moto de 35 mil reais e presenteou a mão de um traficante (que nunca teve habilitação para dirigir). Love anda escoltado por traficantes fortemente armados, os mesmos que fazem arrastões e tocam fogo em ônibus cheio de trabalhadores e até em jornalistas (Tim Lopes). Ninguém pode condenar esses jogadores por frequentarem qualquer lugar que seja, mas me parece que esses episódios representam muito mais que isso. Qual seria a necessidade desses jogadores continuarem mantendo contato direto e íntimo com marginais de tamanha periculosidade? Alguém pode responder? Se alguém me provar que eles precisam disso, a frase na camisa de Adriano vai servir para mim... Do contrário só serve para seus próprios "amigos".

Maurício enviou em 16/03/2010 as 19:21:

Vagner Love nascido e criado na Rocinha? Po, ele não é de Bangu? Lembro de ter visto uma reportagem que mostrava a infância dele na zona oeste, do campo onde começou a jogar..... Será que os amigos de infância, em peso (ou em bonde) mudaram-se pra Rocinha?

Marco A. C. Rosa enviou em 16/03/2010 as 19:37:

Eles já moram conosco, são simplesmente brasileiros como eu. Jogam bola e muito bem, o que eleva o grau do preconceito que sofrem. Ganham dinheiro pra isso e só têm que prestar contas aos seus empregadores, não ao público em geral. Sou carioca da gema, já subi a Rocinha em visita a igrejas, e não vejo nenhum sentido em alguém deixar de se relacionar com uma comunidade por causa dos bandidos que estão por lá. É a mesma coisa que proibir a entrada de alguém no condomínio de luxo onde mora um sujeito dos mensalões da vida (a nossa, somos nós que pagamos tudo). Aliás, ninguém tem nada contra isso, não é? Eles não tem mãos livres para pegar em armas, as armas deles são dinheiro por todos os lados, meias e cuecas. Em tempo: não moro mais no Rio e sou botafoguense. Fazer fofoca por racismo é canalhice demais...

Sebastião enviou em 16/03/2010 as 19:58:

Finalmente concordo com você. Meus sinceros parabéns.

Mauro Brandão enviou em 16/03/2010 as 20:13:

Gostaria de saber: se fossem artistas contratados da Tv Globo, a mesma mostraria as imgens. Duvido. Vivemos em uma sociedade hipócrita, temos uma imprensa demagoga que só noticia o que a ela interessa. Parabéns pelo belo e consciente texto.

GROSSEN DICKINSIDE enviou em 16/03/2010 as 20:27:

E VERDADE. OS DOIS SO FREQUENTAM O MESMO MEIO DE ONDE VIERAM E ONDE TEM AMIGOS E FAMILIA. NADA ERRADO NISSO. NAO E PAPEL DELES PRENDER TRAFICANTES E FESTAS COM GAROTAS DE PROGRAMA SAO OTIMAS. A MINHA UNICA PREOCUPACAO E COM OS ANIMAIS. QUE TIPO DE ANIMAIS?? O QUE FIZERAM COM A BICHARADA???

Renato Gonçalves enviou em 16/03/2010 as 21:04:

Interessante que o mesmo jornaleco que agora se resume a noticiar o dia-a-dia dos jogadores flamenguistas não tenham a mesma vontade de noticiar o que ocorre nas escolas de sambas com seus patronos(a maioria ligado ao jogo do bicho que é contravenção) e a ação de traficantes nos barracões. Me lembro de Anisio Abraão David desfilando num carro do Corpo de Bombeiros no último título da Beija-Flor.

ricardo enviou em 16/03/2010 as 21:06:

O que vc tem para esconder? Defesa grátis é identificação para justificar erros...

Wagner da Silva Rosa enviou em 16/03/2010 as 21:25:

Me desculpe , se você acha normal a convivência com traficantes , se você acha normal ter uma moto comprada no nome da mãe de um traficante , eu só acho que este não é o exemplo que eu gostaria para minhas filhas , ser ídolo é ter um compromisso com a sociedade e com seus jovens , ja que estes supostos ídolos servem de espelhos para os nossos jovens .

ZFlash enviou em 16/03/2010 as 21:26:

Defesa do colunista: das ofensas, ele cuida sozinho facilmente, mas asseguro que Migliaccio é tricolor, com viés americano (de América Football Club). Quanto aos personagens, Adriano e Wagner Love facilitam muito. Deviam ter mais cuidado, no mínimo para não serem vítimas fáceis. Eles vestem o manto sagrado.

Juliana enviou em 16/03/2010 as 21:28:

Fiquei arrepiada de ler o texto!!! simplesmente IMPRESSIONANTE!! um exemplo recente de como nossa sociedade é hipócrita: FÁBIO ASSUNÇAO!!! lindo, artista da globo e cheirador assumido... foi crucificado?? foi meramente criticado?? NAO!! o que se viu foram correntes de oraçao, mensagens de apoio... nenhuma criticazinha por parte nem da mídia nem da populaçao!! ai se fosse negro e pobre....

jean enviou em 16/03/2010 as 21:35:

Pela série perguntar não ofende : não teve um BBB que foi pego com um saco de comprimidos de ecstase numa rave ? E os filhos escondidos de jornalistas de tv com senadores e presidentes ?

Philomeno M. Lorys enviou em 16/03/2010 as 22:05:

Vamos deixar em "off" todos esses conceitos tão esburacados de distorções pela nossa às vezes subliminar hipocrisia. Refiro-me a "comunidades", "elites", "racismo", "mídia", "cidadania", "favela", "carentes" etc. Será que ninguém percebe o peso da ignorância (com sua carga de ingenuidade) nos atos dos dois "famosos"? Tudo o mais é apenas MOLDURA -- desde a reação das "autoridades" até o mais que previsível papel da mídia, dependente de qualquer acontecimento-droga que cause sensação ou o transtorno de uma boa polêmica. O Adriano e o Love devem ter aprendido, com o episódio, muito mais do que estou escrevendo aqui. Mas que nem todos os autores de "comentários" conseguiram aprender. O Brasíl É essa hipocrisia hiante.

Márcio Thees enviou em 16/03/2010 as 22:09:

Excelente sua argumentação. Apesar de seu sentimento de revolta, creio que esse tipo de abordagem e de ponto de vista é que são capazes de fazer com que nossa crença no ser humano (e no BOM jornalismo) ainda vigore. Abraços fraternos.

cid - RJ enviou em 16/03/2010 as 22:09:

Entendo que Adriano e Wagner Love, como jogadores profissionais se tornaram pessoas públicas, logo não devem frequentar esses ambientes. Suas presenças incentivam a existência da criminalidade. Tão culpados quanto eles, é a nossa imprensa que estimula o crime e a sexualidade(BBB).

Frederico enviou em 16/03/2010 as 22:21:

Marcelo Migliaccio, você é cínico e hipócrita. Dias atrás, você condenava quem assistia ao Big Brother. Dizia que esse telespectador era tarado, sadomasoquista, burro, etc. por assistirem a discussões em frente do televisor. Hoje você vem aqui e defende as discussões do Adriano e namorada em público. Hipócrita você. Tem mais: no mesmo dia em que Adriano e o Wagner Love foram convocados a irem a uma delegacia para explicar o porquê da associação do nome deles com traficantes, certamente, no Brasil todo, outras pessoas foram fichadas. Isso é o que se espera de um país republicano guiado por leis. Mas agora você defende dois sistemas jurídicos: um para os anônimos e outros para jogadores. Centenas de brasileiros que foram pegos em situação duvidosa já compareceram a uma delegacia. Por que os dois jogadores ricos não deveriam? Por que a imprensa é sensacionalista? Tem mais: morar em favela não é sinônimo de ser bandido automaticamente. No morro onde Adriano se criou, há diversas pessoas humildes que não fazem conluio nem conchavos com bandidos mesmo sendo pobres de dinheiro. Por que o Adriano faz questão de se envolver com delinquentes? São parentes? Ou é uma relação de patrão e empregados? Ou é uma relação de fornecedor e cliente? Como ninguém sabe qual é o tipo de envolvimento, é justo a polícia verificar. Afinal, se os anônimos são levados a delegacia, por que não os dois ricos jogadores? Por causa de gente como você, Marcelo, existem, no Brasil dois sistemas jurídicos: um para pessoas humildes e outras para afortunados. É uma vergonha ler um repórter defendendo uma justiça flexível e tolerante com ações criminosas ou suspeitas produzidas por gente rica. A sua faculdade de jornalismo deveria ter lhe ensinado ética e cidadania. Diga, Marcelo, por que esses dois jogadores não se juntam com pessoas honestas? Por que eles não se juntam com ONGs que ajudam famílias que perderam filhos para as drogas? Por que eles não se juntam com serviços sociais que ajudem os favelados a crescerem como cidadãos? Os dois jogadores, porém, preferem conchavos com criminosos. E você acha isso natural, perdoável, normal e aceitável. Por que será? Acho o comportamento dos dois jogadores suspeito. Afinal, pessoas pobres e honestas vivem sonhando em ter uma vida melhor, uma casa melhor, um carro melhor, etc. E quando têm a oportunidade não desperdiçam. Diferentemente, os dois jogadores ricos em questão preferem bocas de fumo e amizades com bandidos (que provavelmente já mataram inocentes para controlarem as bocas). Enfiim, Marcelo, qual é o seu envolvimento com essa gente criminosa dos morros? Por que você não defende pessoas humildes e trabalhadoras das comunidades carentes? O fato de a pessoa nascer pobre isso é um passaporte para ser bandido? E os que nascem ricos e se tornam bandidos, qual é o motivo? Vamos parar de promover uma justiça para ricos e outra para pobres. Vamos parar com essa bandalha. Ricos e pobres criminosos devem pagar por seus crimes. Ricos e pobres honestos têm o direito de viver numa sociedade segura e protegida.

jose victor enviou em 16/03/2010 as 23:10:

oi marcelo. parabens pela bela reportagem, destacando a pura hipocrisia, principalmente de alguns colegas seus. infelizmente a falta de criatividade desses profissionais feitos nas coxas denigre a imagem da nossa imprensa. abrçs. victor

Malária enviou em 16/03/2010 as 23:12:

A duplinha do amor vai poder entrar em campo no domingo e azucrinar o Botafogo, porque jogador do Comando do Mal não precisa fazer exame anti-doping. Já os nossos atacantes, Herrera e El Loco Abreu, foram suspensos por manobras mafiosas do Comando. El Loco foi provocado e agredido durante o jogo todo por um zé ninguém do Olaria, sem que o "juiz"fizesse nada, até que não aguentou mais e reagiu: aí o "juiz"expulsou os dois. Este zé deve ter ganho mais do Comando para provocar o Loco do que em toda a sua carreira como zé. Já Herrera tomou um gancho que só o "tribunal" saberá explicar. A torcida do Botafogo já está sendo ameaçada pela internet. Desse jeito os vagabundos vão ficar com o Maracanã todo para eles, e terão que se assaltar uns aos outros. Mas isso não é nenhuma novidade.

Andrade enviou em 16/03/2010 as 23:22:

Apenas mais uma pergunta? Porque atletas do quilate de Adriano e Vagner Love não conseguiram se adaptar na europa? provavelmente e com certeza lá não tem favela. e a cultura? ora a cultura lá deve estar muito abaixo da classe cultural que eles possuem.

Edmilson Lani enviou em 16/03/2010 as 23:52:

Tomei a liberdade de colocar esse excelente texto no FLAMENGO RJ. http://www.flamengorj.com.br/noticia/por-marcelo-migliaccio-perversidade-contra-dois-jogadores-de-futebol.html

guto enviou em 17/03/2010 as 00:22:

....triste esse seu texto!!!!

ronaldo silva enviou em 17/03/2010 as 00:33:

Estou na madrugada, após do serviço ir para a Universidade, são 00:24h e já ia dormir quando li este comentário muito feliz de Migliaccio, meus parabéns, e percebi que mesmo após um dia de labuta não poderia me furtar de comentar essas duas aberrações que fazem com Adriano e Vagner Love, acontece o seguinte: se os caras nasceram na favela, tem mais é que realmente curtirem seus amigos de lá, e digo que independente de suas ocupações e lá que estão seus verdadeiros amigos, ou eles devem procurar os patricinhos da Zona Sul que nunca lhes deram atenção, ou as popuzadas que só andam atrás de dinheiro, as famosas e conhecidas marias chuteiras ou interesseiras; e a liberdade de ir e vir como está na constituição, e digo mais, que infelizes são aqueles que ainda perdem seus tempos para dar ênfase a essa palhaçada de alguns despreparados da mídia. Fui, é muita pobreza de espírito. Obrigado pelo espaço para poder elencar a minha opinião.

jorge ferreira de oliveira enviou em 17/03/2010 as 00:50:

Marcelo Migliaccio, Uma atleta ou um atleta que freqüenta um baile FUNK é um bom exemplo para meninos e meninas, a garotada da nova geração? Principalmente, a meninada da periferia,das vilas pobres e dos aglomerados ? É também um bom exemplo, quando um ex-jogador da seleção brasileira faz propaganda de bebida alcoólica na televisão, no caso, a cerveja, e se intitula como: Brhameiro ? Não foi por tentar denunciar a corrupção de menores nos bailes FUNKS que o Brasil perdeu o jornalista TIM LOPES, assassinado de forma cruel, hedionda? ................................................................. Músicas de facções criminosas como CV e PCC invadem a internet Vasconcelos Quadros, Jornal do Brasil BRASÍLIA - Uma série de áudios e vídeos com músicas funk do gênero “proibidão”, exibidos pelo portal Youtube na internet, está escancarando pela irreverência uma velha suspeita da polícia: as duas principais organizações criminosas do país, o Comando Vermelho, do Rio, e Primeiro Comando da Capital, o paulista PCC, estão construindo uma parceria que vai além do convívio nas cadeias. São dezenas de letras, marcadas pela criatividade dos artistas marginais, mas também de estímulo ao crime, descrevendo assaltos, tráfico de drogas, compra de armas e homicídios em que líderes e integrantes das duas quadrilhas são tratados como heróis e a polícia é ironizada e chamada de “terceiro” elemento envolvido nos conflitos, cuja recepção deve ser com rajadas de tiros. 15:54 06.02.2010 ................................................................... AS LETRAS DO FUNK SÃO TAMBÉM IMORAIS, PORNOGRÁFICAS !!! jorge ferreira de oliveira - Contagem das Abóboras MG

jamil enviou em 17/03/2010 as 01:07:

Esse "jornalismo" feito em toda a mídia está sendo drásticamente desaprovado pela sociedade. Vejam bem as audiências das tvs: o JN com muito suor chega aos 30 pontos, um jornal que já deu 80 pontos no Ibope. Os jornais das bancas caem assustadoramente as sua vendas, e por aí vai.

Paulo Bruno enviou em 17/03/2010 as 01:10:

Jean, responder também não ofende: O tal BBB pego com ecstase, foi enquadrado pela polícia, respondeu pelos seus atos e já até faleceu. O resto que você diz "escondidos", nem você sabe... Será que isso justifica que Adriano possa presentear traficante com moto de 35 mil reais? Pra que você acha que esse traficante vai usar esse moto? Entregar Pizza ou assassinar pessoas inocentes na rua? Vocês que defendem a atitude desses jogadores, pensem bem nos arrastões, nos ônibus queimados e nas balas perdidas e achadas que matam muito. Ter contato direto e íntimo com esses marginais é no mínimo um grande irresponsabilidade e falta de respeito a VIDA.

David enviou em 17/03/2010 as 01:21:

Meu caro falou e disse ainda bem que existe pessoas como vc no mundo continue assim parabens

Kagon o Urinador enviou em 17/03/2010 as 01:28:

Lá no Carnaval de Olinda o grande sucesso é a ""Marcha do Império do Amör". A letra diz mais ou menos assim: "Pórópópó, pópópópó/ Pórópópó, pópópópó/ Pórópópó, pópópópó/ Pórópópó, pópópópó!".

Gabriel Dias de Oliveira enviou em 17/03/2010 as 01:30:

Parabéns! Vc soube experessar de forma perfeita tudo o que estava guardado dentro de mim até agora! O bom jornalista não é aquele que escreve o que está subordinado a escrever, e sim o que tem uma visão critica sobre ambos os lados e principalmente criticas sobre seus "colegas de trabalho".

roberto delamite enviou em 17/03/2010 as 01:32:

Esse migliacio é um piadista mesmo...ta com pena dos bandidos flamenguistas...leva pra tua casa , pra tua mae cuidar deles...esqueceu de defender o pedófilo da gavea tambem... essa mulambada são iguais aos petralhas, os errados são os outros eles pódem tudo...

Saulo Souza enviou em 17/03/2010 as 01:38:

Simplesmente perfeita sua coluna. A sociedade brasileira é hipócrita demais, falsa, demagoga. Não sinta vergonha de ser jornalista, sinta orgulho em ser diferente da maioria de seus colegas de profissão. Parabéns pela análise imparcial e sóbria. O Brasil é hoje um grande Big Brother.

Digo To. enviou em 17/03/2010 as 01:59:

Não se envergonhe de ser jornalista, pois eu por morar em uma comunidade carente, fiquei muito feliz ao ler seu artigo, em meio a tantos ataques de hipocrizia atualmente praticados pela maioria da imprensa que junto com autoridades estão tentando jogar nossa realidade embaixo do "tapete" para um 2014 e 2016 perfeitos. Favela é sinônimo de bandido para parte da imprensa e sociedade, só não o sendo em momentos de praticar a hipócrita solidariedade como dar latas para crianças baterem para passar o tempo. Mas em uma das úncias poucas possibilidade de ascenção social, o futebol está colocando favelados em lugares prestigiados, e quando estes jogadores não escondem sua origem como muitos o fazem, fica complicado esconder a realidade de fundo dos locais onde transitam. Neste caso não adianta nem costruir muros nas avenidas como a prefeitura está fazendo, pois estes jogadores tem o prazer de entrar na favela e conversar com seus amigos. Porém, se tiver provas de um envolvimentos de fato com o crime organizado, ai sim podemos condenar estes jogadores.

Sergio enviou em 17/03/2010 as 02:06:

Excelente texto Marcelo! Inclusive coloquei o link deste texto em outro blog para os leitores debaterem. Santa internet!

callum pribilovski enviou em 17/03/2010 as 05:05:

eh por isso que o Brasil eh o pais da impunidade. aqui no Japao um cara famoso andou pelado e foi preso. perdeu varios contratos . uma cantora cujo marido usava drogas foi banida das lojas de Cd,ninguem quer vender os Cd dela. a sociedade deu as costas para ela. um jogador de futebol fez sexo com uma menor de idade e o clube prontamente mandou ele embora,vendeu o cara pra segunda divisao da alemanha. o japao funciona. sem crimes,sem violencia e eu posso andar pelas ruas com o meu rolex. posso dormir no trem com a mochila aberta....ninguem vai me roubar.

alberto amaral enviou em 17/03/2010 as 05:59:

Manda ver. uma pergunta; quando vc. vai criar o blog Rio Acima? esse negócio de rio baixo é punk demais. pena que a condessa pereira carneiro já se foi e o bernard campos também. certamente eles estariam trabalhando para o Rio Acima e não o abaixo

Sonia Bolzan enviou em 17/03/2010 as 06:22:

Marcelo, infelizmente é a sua classe que faz isto. Condena, denigre, eleva glorifica. Enquanto tivermos profissionais medíocres, conduzindo essa enxurrada de bobagens nos veículos de comunicação teremos pessoas inocentes sendo tripudiadas. A pena deveria ser dura para profissionais da informação que detonam com a vida do outro com difamações ou historinhas mal contadas! Ainda se defendem dissendo que estão sendo censurados. Paciência tem limite!!!

Tereza enviou em 17/03/2010 as 07:41:

Na mosca!

Pedro Mauricio enviou em 17/03/2010 as 08:32:

O Presidente e o Governador visitam a Rocinha e o Complexo do Alemao e alguem acha que os bandidos vao embora, para que os dois entrem na favela. Deixa os favelados em PAZ viver suas vidas que mesmo com dificuldades financeiras e bem mais harmonioso o convivio nas favelas do que encastelados em predios

amadeo rego calado enviou em 17/03/2010 as 08:37:

parabéns, há muito que não acertava com um bom post!

José Geraldo Vidigal de Carvalho enviou em 17/03/2010 as 08:40:

Brilhante artigo. Além do mais o interesse de muitos é atingir o Clube mais querido do Brasil. . Prolfças! José Geraldo Vidigal de Carvalho

luiz carlos balbino enviou em 17/03/2010 as 08:51:

Muita gente que a juventude olha os craques como exemplo,são jovens que sonham em ser um Adriano ou Vagner Love,mas os exemplos são péssimos,frequentar festas bancadas pelos lideres dos tráfico,escoltado por marginais,envolvimento com bandidos,devem jogar futebol,dar o seu melhor e respeitar o clube q paga seus salários,q aliás um belo salário.

Paulo Bruno enviou em 17/03/2010 as 09:42:

Frederico, falou tudo. Irresponsabilidade total do jornalista! Sua posição em relação a esses episódios é no mínimo impensada e, se ele chegou a pensar no que escreveu, aí a coisa é grave.

Edelbertol Lima enviou em 17/03/2010 as 10:15:

Esse artigo, calcado em sofismas, demonstra a razão da decadência moral pela qual passamos. A origem humilde e pobre não justifica e nem é atenuante para que famosos, cujas condutas infelizmente são copiadas por muitos jovens, convivam em nítida demonstração de intimidade, com notórios traficantes, QUE NENHUM BENEFÍCIO TRAZEM PARA O BEM COMUM E PARA O PRÓPRIO RIO DE JANEIRO.

Ricardo. enviou em 17/03/2010 as 10:30:

Sr. Marcelo, pelo menos o Sr. ficou conhecido, e fez perder o meu tempo, em visitar seu blog, e ler tanta bobagem junta. Defender amigo de bandido, é o que então? Fique tranquilo, que não voltarei aqui de novo para ler sua abrobrinhas.

Augusto enviou em 17/03/2010 as 10:46:

Parabéns pela lucidez! Até que enfim alguém(jornalista) tocou na ferida!

Jefferson enviou em 17/03/2010 as 10:51:

Dois jogadores conhecidos reféns de traficantes ou aliados? Só é possível saber após conclusão de inquérito. Antes disso, é usar o nome desses jogadores. Mas se o clube sabe e não faz nada, é porque o envolvimento já atingiu um grau perigoso. Esporte e droga não combinam... O atleta é referência e sua vida particular não pode ser separada e esquecida pelo clube. Necessário banir isso dos esportes.

Marcelo enviou em 17/03/2010 as 11:10:

É normal que rubro-negros defendam o indefensável... São flamenguistas... Esperar o quê da escória carioca ? O clube é a história de um sem número de falcatruas, favorecimentos e escândalos. Seus jogadores estampam outras vergonhas sociais, páginas policiais... e o que falar da torcida ? A escória do Rio ? Por que será que só na torcida do urubu acontecem arrastões ? Alguém já viu festa de traficante ou festa nos morros e favelas ? Pois é.. a camisa preta e vermelha é uniforme ! Não tem jeito.. o flamengista sempre será a vergonha desse estado.... Exceções ? Claro.. existem.. mas geralmente são os jornalistas parciais da imprensa carioca e um número reduzido que não vai ao maracana justamente por ter medo de ser assaltado pelo VERDADEIRO flamenguista ! Não há nenhuma novidade nesses escândalos pois: flamengo,tráfico,favela,ignorância,massa de manobra.. são uma coisa só !

Rodrigo Lopo enviou em 17/03/2010 as 11:23:

Só um detalhe. O Vagner Love não nasceu na Rocinha. Não é sua "origem". E a favela que o Adriano brigou me parece que também não era. Agora, o cara ter nascido na Favela lhe dá o direito de andar na compania de marginais? Ou então participar de festinhas e beber em excesso como faz o Adriano? Ou falar que agredir uma mulher é normal?? Afinal que nunca já fez isso né BRUNO?? Quer dizer que o fato dele ter nascido na favela justifica um bando de besteiras que ele venha a fazer? Muito bom seu ponto de vista.

Estevam enviou em 17/03/2010 as 11:28:

Sábio é o ditado, "a pessoa sai da favela, mas a favela não sai dele". LAMENTÁVEL ver que, apesar de terem tudo à disposição pra poderem EVOLUIR CULTURALMENTE, Adriano e Vagner Love preferem ficar ao lado de TRAFICANTES, BANDIDOS, ASSASSINOS. Se fosse uma mera "visita às origens", como querem apregoar, não teria nada contra. Mas não é o caso. Entendam que, já que ele escolheu essa vida de atleta famoso, que arque com as consequências disso. ATLETA TEM QUE PASSAR IMAGEM DE BOM MOÇO, SIM. ATLETA TEM QUE SER BOM EXEMPLO PRA CRIANÇA, E NÃO POSAR DE MALANDRO DOIDÃO. O Flamengo é uma instituição lamentável por defender abertamente esse tipo de conduta inaceitável vinda de um atleta rico e famoso. E o que a IMPRENSA está fazendo, é apenas mostrar a VIDA RIDÍCULA E BANDIDA que ambos vem levando.

Rod Pan enviou em 17/03/2010 as 12:26:

Os puritanos de plantão e seus discursos hipócritas, ridículos e surreais. Em que mundo eles vivem? Parabéns pelo lindo e consciente texto, Marcelo. A realidade é clara, se abre a ela quem coragem tiver.

ALÊ enviou em 17/03/2010 as 12:39:

VOCÊ ESQUECEU DE ADICIONAR, TAMBÉM, O PEDOFILO DA DIRETÓRIA.

Renato Gonçalves enviou em 17/03/2010 as 12:56:

Há coisas distintas sendo discutidas neste blog. O fato de qualquer cidadão, seja famoso ou não, frequentar favela ou morro está no direito de ir e vir discriminado na Constituição Federal. Além de ter o direito de ouvir qualquer tipo de música inclusive o funk que recentemente foi considerado movimento cultural do Rio pelos digníssimos deputados fluminenses. Agora se o indivíduo cometeu algum crime, então, a polícia deve investigar ponto. No mais, supostas festinha regadas a sexo com modelos, anões e asnos é da vida privada da pessoa. Já que os pseudospuritanos(sendo que a maioria não consegue esconder sua aversão ao clube rubro-negro não é, Paulo Malária) estão tão preocupados assim com a imagem dos jogadores. Poderia também pedir ao jornaleco para cobrir as festinhas nas casas de suingue onde só tem casal bacana frequentando, ou quem sabe ir a Quinta da Boa Vista a noite para fotografar a quantidade de carros de luxo que param para as prostitutas e travestis da área e também fotografar a ação dos traficantes nas quadras das escolas de samba.

Helena Maria Correia enviou em 17/03/2010 as 13:06:

Caro Marcelo concordo plenamente com o teor do seu artigo e também me envergonho dessas atitudes elitistas. Penso que não é fácil viver num país que só se preocupa com bobagens e a vida dos outros. É duro ser pobre (qualquer cor), negro, favelado ou ex enfim, ninguém consegue viver em paz caso se enquadre nesses tipos. Vemos tantos canalhas em Brasília (local de reunião de bandidos do Brasil inteiro) e ninguém toma qualquer providência e nem fica falando nada agora basta o cara ser jogador do Flamengo ou cantor de pagode e pronto aí a importância dele é maior do que a dos meliantes lá de Brasília e não importa o que eles decidem lá mesmo que isso prejudique a todos e demais gerações futuras para sempre.

rafael enviou em 17/03/2010 as 13:30:

perfeito kra.. falou tudo

Saulo Machado enviou em 17/03/2010 as 13:36:

eles querem factóides? denúncias sem provas?? Cocaína em festa de emissora de TV, assédio sexual para papéis de destaque, etc... quem deveria ter um papel mais sensato informando a sociedade, que por si já inventa das suas fofocas, faz um papel deplorável... é a mídia definhando, como já havia alertado alguns jornalistas em seus blogs e sites na internet.

sergio enviou em 17/03/2010 as 14:03:

Nem tanto nem tão pouco, mas acho negativo este artigo pois não devemos dar como positivo atos como destes jogadores que são de um clube que tem uma nação imensa de jovens e crianças e isto não é exemplo. Eles tem que serem criticados sim e a imprensa tem que publicar sim não só eles mas todos estes mal exemplos como GAZUZA que infernizou muitos jovens e familias.

Diogo Pereira Costa enviou em 17/03/2010 as 14:06:

Marcelo, Perfeita o teu argumento. Quando Marcelo Antoni e Fábio Assunção foram pegos em flagrante comprando drogas, o que é crime, foram tratados pela mídia com "luvas de pilica", como doentes que precisavam de recuperação. A conduta da mídia foi vergonhosa e irresponsável, pois o povo tem ciência dos fatos defendidos em seu texto, mas como o linchamento é público, dá a impressão que o racismo é respaldado pelo povo. É um prato cheio para grupos racistas e oportunistas que defendem políticas, como as cotas raciais em universidades públicas. Sds, Diogo.

Paulo Malária enviou em 17/03/2010 as 14:22:

"Aversão ao clube rubro-negro", não: o velho e tradicional C.R. do Flamengo, que até os anos 70 era um adversário de respeito, perdeu o rumo quando resolveu incorporar à sua torcida todo o bagaço do lumpen da marginália, e para atrair essa escória resolveu usar os mesmos métodos deles. Teve sorte de ter um Zico e toda aquela geração que lhe deu um título mundial, que será para sempre o seu único, pois um raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Mesmo assim, já nos tempos de glória, protagonizou escândalos como o "caso das papeletas amarelas", em 1981, que, para quem não sabe, tratava-se exatamente de compra de árbitros. E daí foi: mafiagem para garantir resultados em campo, bandidagem para aterrorizar as outras torcidas na arquibancada. Sendo botafoguense, tenho razão especial para odiar aquilo em que o comando vermelho-e-preto se tornou, pois nos últimos anos tivemos 3 títulos estaduais surrupiados pelo comando, em circunstâncias diferentes, um escandalosamente dentro de campo, outro preventivamente e o último misturando ligações perigosas num almocinho suspeito com a quebra de nossos melhores jogadores dentro de campo. Este time hoje é o que tem mais títulos no Rio, mas no futuro ele será visto como digno representante de uma era de ilegalidade que arruinou o Rio e o Brasil, e muitos de seus títulos serão cassados, como já foi o falso título carioca do Flu em 1907, tomado do Fogão mediante fraude. Eu sei que não vai dar pra comemorar o nosso tetra estadual (2006/2009) com 100 anos de atraso, mas pelo menos o Glorioso BOTAFOGO DE FUTEBOL E REGATAS continuará nos campos, envergando o manto da Estrela Solitária, enquanto os flamengos da vida já terão fechado há muito tempo por determinação judicial, e as pessoas nem saberão do que se tratava.

Terezinha M. Corrêa enviou em 17/03/2010 as 16:31:

Marcelo, Das duas uma, ou você é daqueles flamenguistas que não enxergam um palmo de nada a sua frente, ou é um jornalista sem nada de melhor para escrever num blog de jornal. Me poupe. Fiquei com tanta peninha do Adriano e do Love !!!!! Escreva coisa séria.

Junior enviou em 17/03/2010 as 16:48:

Parabéns!!!

maria jose carvalho enviou em 17/03/2010 as 16:56:

Deixa de ser ridículo!!

Luiz Felipe da Cunha e Silva enviou em 17/03/2010 as 17:54:

Concordo inteiramente com o colunista, e agradeço imensamente tão oportuna e competente expressão de um ponto de vista que compartilho

Claudio enviou em 17/03/2010 as 19:08:

E eu perdi meu tempo para ler essas besteiras. Esse é flamenguista cego. Certamente se fosse de outro time nada falaria.

Sarita souza enviou em 17/03/2010 as 19:40:

Agora sim, um jornalista sóbrio, sem demagogia, hipocrisia... coisa corriqueira entre o jornalismo brasileiro. É de muita lucidez o artigo. Está de parabéns. Concordo plenamente com seus argumentos.

zilnard Carvalho enviou em 17/03/2010 as 19:46:

Sr.jornalista o senhor não tem algo mais sério a escrever? Defesa de marginal ( marginal é todo àquele que anda à margem da Lei ) é apologia ao ato que praticou ou seja ao crime. Nesse Jornal tão conceituado onde buscamos ler as coisas boas do Rio de Janeiro, e de todo o Brasil , o Sr. vem falar de "adriano" e Wagner " de alcunha "love" ?! Para ser respeitado primeiro tem que se dar o respeito e não tem que tomar partido. A sua opinião não nos interessa. Interessa a nós a notícia do fato em sí e como de fato ocorreu, fora isso, não escreva nada, espelhe-se em seus companheiros jornalistas do JB que são dignos dessa "tribuna" e dignos do Jornal da Condessa. Estou identificado abaixo e subscrevo-me. Outra coisa : Não se trata de ser, pobre ou rico , preto ou branco, favelado ou não, afinal o Brasil na sua maioria é assim , só não somos , apologistas do crime e do mal. Deus nos salve.

sergiobarba@yahoo.com.br enviou em 17/03/2010 as 19:56:

deprimente. vc não deveria se envergonhar de se jornalista. vc não deveria era escrever. quanta bobagem.só pq vc é flamenguista. garanto que vc não fez a mesma defesa do jobson e nem da daiane. deprimente.

Fernanda enviou em 17/03/2010 as 20:08:

Migliaccio, não me aventurei a ler os comentários dos leitores, mas imagino que, depois do Adriano e do Vágner Love, agora o crucificado é você. Será que as pessoas vão entender que você está criticando a mídia e a maneira como a Justiça é feita no Brasil? Ou a miopia vai imperar e o pessoal vai dizer que você defende bandido???

Tatiana enviou em 17/03/2010 as 21:14:

O que acabei de ler só pode ser piada... QUEM COM PORCOS SE MISTURA, FARELO COME! Estão com peninha dos bandidinhos do Flamengo? Levem pra casa e vão passear com eles pelas favelas cariocas. PROGRAMÃO!!!!

Artur enviou em 18/03/2010 as 00:09:

A cada dia esse blogueiro se supera!!!

Paulo Izecksohn enviou em 18/03/2010 as 00:49:

Marcelo, acabo de ver na tv um anúncio onde um lutador de box finge sofrer um nocaute para poder beber logo uma lata de Skol, que ele abre ainda deitado no ringue. Segundo a propaganda, a Skol é "rapidinha". Quer dizer: não adianta o Conar querer impor limites aos publicitários, pois os que fazem propaganda da água mijada são uma tropa de choque nazista, usando técnicas de Goebbels para convencer os viciados a beberem ainda mais. Todos se lembram da "zeca-feira" da Brahma, que era a 4ª feira (POR QUÊ vocês ainda não bebem também na 4ª feira?), aquela outra do "brahmeiro"que fechava toda noite entornando água mijada no bar, e também a "ilha quadrada" da Skol, onde os viciados eram sequestrados e obrigados a beber outra marca, virando retardados por causa disso (mas nem assim paravam de beber). Não tem jeito: a solução é proibir logo qualquer propaganda desta merda, do contrário vão ficar enxugando gelo com a Lei Seca, pois os publicitários nazistas atacam logo em cima dos adolescentes, para viciá-los desde cedo.

Edemilson A. de Almeida - Macaé/RJ enviou em 18/03/2010 as 06:41:

Que bom poder comentar e que bom ler os comentários. Mesmo que isto não agrade, não importa, afinal o espaço é democrático. Eles, jogadores, não podem ser misturar com os bandidos, afinal são celebridades. E o povo que lá vive? Como faz? Eles, são apenas dois membros do povo, sacado deste meio pelo talento que possuem. Mas afinal, eles não deveriam dar exemplo para a comunidade onde nasceram, onde viveram de que é possível sim, ser um "favelado" (entre as aspas, por que favelado no Brasil é todo aquele que não tem condição a uma moradia digna, educação de qualidade, e uma vida sacríficio para ir para o trabalho e mesmo acertando, ainda é discriminado), mas ter uma vida digna? Não é isto que eles estão mostrando para os milhões de crianças e adolescentes que lá vivem? Por que serem ricos é obrigação que frequentem apenas discotecas na zona sul? Mas isto não seria esquecer as suas origens? Isto não seria hipocrisia? Se isto aconteceu com o Vagner Love, ser "escoltado" por traficantes, tenha certeza que isto acontece todos os dias com os milhões de pessoas dignas que lá vivem. Mas para que falar, afinal, são pobres desconhecidos, desafortunados. E mais: para que fazer alguma coisa para mudar. Mas o Adriano deu uma moto para um traficante. Se o cara pede a moto para o Adriano, toda a família dele vive lá, o que ele tem que fazer? Parabéns, Vagner Love, por não abandonar o seu povo e mostrar ao Brasil o que é a vida em uma favela que não tem UPP. Parabéns Adriano, por ir para a Chatuba, em vez de Copacabana.

Thays enviou em 18/03/2010 as 07:32:

não acredito que li isto aqui... Deixarei de seguir seu blog e de divulgá-lo. Não tem nada a ver com preconceito racial. Você até pode questionar a questão das drogas mais amplamente, dizendo que já existia quando nasceram, que o esquema é corrupto etc etc etc. Agora aplaudir a postura destes dois e tentá-los fazer de vítima... Dá um tempo.

cicero gomes enviou em 18/03/2010 as 08:22:

Na favela tem muita gente que dar duro,que trabalha,que vai a luta. ,é essas pessoas que vc deve exaltar,não ficar fazendo loas a 2 biltres que não sabem o que fazer com o que ganha,e nem sabe escolher as companhias. Diga-me com quem andas e digo-te quem és. Vale para vc tambem

Felipe Valentim - SP enviou em 18/03/2010 as 08:34:

comida é fofoca na boca do zé povinho. Parece que toda midia quer ser desinformação, panfletagem. Todos querem dar as CARAS. que elite de lixo.

maneracxs@yahoo.com.br enviou em 18/03/2010 as 09:02:

Sabe da última, em política a ´'midia' também está agindo assim. Apenas alguns jornalistas relatam a verdade dos fatos e o conteúdo e a complexidade de algumas manobras. A 'mídia' tem que vender papel, não se preocupam com informação e formação. Parabéns.

Gustavo enviou em 18/03/2010 as 09:25:

Brilhante Marcelo, foi a melhor matéria que li sobre o assunto!!! Só vou acrescentar uma coisa... a imprensa e a população não ficam indignados quando políticos e celebridades aparecem ao lado de bicheiros que também andam com bandos armados... hipocrisia, dois pesos e duas medidas.... afinal de contas eles são os donos do carnaval e moram na zona sul...

jorge ferreira de oliveira enviou em 18/03/2010 as 10:30:

MARCELO, REITERO AQUI O MEU PEDIDO PARA QUE A FONTE (LETRA E TIPO) DO BLOG SEJA MAIS AVIVADA, TAMBÉM A POSSIBILIDADE DE USARMOS PELO MENOS TRÊS DIFERENTES(ARIEL, ARIEL BLACK, ARIEL NARROW, MV BOLI,....) POR OBSÉQUIO ME Dê UMA RESPOSTA SE ISSO FOR POSSÍVEL. jorge ferreira de oliveira - Contagem das Abóboras MG

Frederico enviou em 18/03/2010 as 13:49:

Uma das coisas que mais me admira na sociedade carioca é a capacidade de a maioria respaldar ou enaltecer bandidos. Chegam ao absurdo de apoiar bandidos conforme o uniforme do time que eles usam. Se o bandido é botafoguense pode tudo. Se o bandido é flamenguista não pode tudo porque há uma imprensa sensacionalista antiflamenguista, etc. Parece cômico e inacreditável, mas é real. Talvez esse respaldo carioca a bandidagem seja a causa basilar das ruas sujas e fedorentas. Talvez esse apoio aos criminosos seja a base das construções ilegais de mansões e de favelas em áreas de preservação ambiental. Talvez o respaldo carioca a bandidagem seja a raiz da pirataria, da política corrupta ou das prostitutas atuando explicitamente em Copacabana. Talvez o apoio carioca dado a bandidos seja a causa de vermos filhos de ricos envoltos em fumaças de maconha nas orlas de Ipanema e Leblon. Infelizmente, os poucos cidadãos cariocas honestos que não respaldam bandidos têm seus filhos, parentes e amigos assassinados por traficantes que são financiados por cariocas viciados e por jornalistas que fazem apologia a criminosos. Diversos cidadãos anônimos diariamente são exibidos em jornais do Brasil e do mundo por conta de atos ilegais ou aparentemente ilegais. O Marcelo Migliaccio, no entanto, considera perserguição a dois jogadores alguns jornalistas publicar um comportamento estranho dos dois atletas. Sinceramente, as faculdades de jornalismo, além de aulas de português, devem apresentar valores éticos e políticos, para que os jornalistas parem de se vender a causas imorais ou enaltecer indícios de crime.

Fabrício enviou em 18/03/2010 as 17:26:

Belo texto! È muito bom ver que ainda existem jornalistas(seres humanos) que consigam separar etica e moral do dinheiro. Hoje em dia é so nisso que se pensa, dane-se os outros tudo que importaé vender jornal e encher o bolso. Parabens pela coragem de defeder essa injustiça feita com os jogadores do Flamengo, são pessoas como voce que ajudam a construir um país melhor, ao contrario desses vermes que se fingem jornalistas e brincam de detetive para escrever um monte de bobagem e transformam essa socidade em um bando de HIPOCRITAS imbecis.

vinicius enviou em 18/03/2010 as 22:34:

Liga não Marcelo, jornalista não é gente!

clau enviou em 19/03/2010 as 03:49:

Taí outra sacanag... da mídia: nunca defendem professores. nunca dizem que ganham mal e são sacrificados etc etc etc. Mas qdo um taca o apagador no aluno (santo) nunca dizem: olha lá, coitado, vamos desculpá-lo! Já ganham tão mal e afinal, não teve a intenção de matar. Mas a mídia pode tacar logo a primeira pedra! Vc tem razão, a mídia, os jornalista ... Continue assim, com opinião, independente do poder dos grandes jornais. Continuo te amando... Aliás, vc bem que poderia escrever sobre o apagador, né? O que acha. Vai dar uma polêmica e tanto aki nessa coluna. Vou amar!

Mala enviou em 19/03/2010 as 13:17:

Que fazer se 99% dos bandidos torcem para o Comando do Mal? É uma realidade inconteste, o comando investiu durante décadas para engordar sua torcida com esse segmento, e agora colhe o que plantou. É fato que muitos cidadãos decentes torcem para o que na sua infância ainda era o "rubro-negro da Gávea", mas esses, coitados, não podem nem ir ver seu time jogar, senão serão assaltados na arquibancada.

ALFREDO SANTA RITA enviou em 19/03/2010 as 16:24:

Marcelo, a questão não é raça, profissão, posição ecônomica ou qq outra classe que vc queira comparar. Sua comparação foi no minimo tendenciosa. A questão dos dois jogadores é muito simples: indícios fortes de financiamento de tráfico de drogas e artefatos bélicos. Se for confirmado serão punido na forma da Lei, certamente com cadeia. No mais, como vc gosta de proteger bandidos, terá a oportunidade de visitá-los e escrever nesse fraco blog que vc insiste em perder tempo em escrever. NÃO PRECISA SER PESSOA PÚBLICA PARA TER INFLUÊNCIA E PRINCIPALMENTE TER OPINIÃO, EM CONTRA PARTIDA A PESSOA PÚBLICA TEM QUE SER MUITO INTELIGENTE PARA TER E DAR OPINIÃO.

Benito Evans enviou em 19/03/2010 as 19:19:

Muito apropriada as observações do jornalista. É a mais pura verdade: pra vender jornal e atrair para sua 'empresa jornalística' as atenções da sociedade certos repórteres descem ao mais baixo nível de conduta. Falta-lhes ética e moral. A vida particular de uma pessoa não pode ser escrachada dessa maneira!

jj enviou em 19/03/2010 as 19:53:

acho que o Adriano andou pegando a mulher de alguém lá no ODIA

Sergio cabeleira enviou em 20/03/2010 as 09:32:

Parabens Marcelo, pelo seu comentario, alguem precisava falar desses abrutes da midia,e sem recurso proprio de inteligencia, que para vender jornais não tem ética nem moral, que com certeza tbm devem ter sido criados. Me tornei seu fã.

Marco Antonio Stefano enviou em 20/03/2010 as 15:54:

Marcelo, muito obrigado por poder ler suas crônicas!! Você já é, para mim, o melhor cronista da imprensa escrita. E muito obrigado também pelo artigo sobre os jogadores do flamengo...tudo que está escrito é verdade..... é uma verdadeira safadeza dos jornalões o que estão fazendo com Adriano , Bruno e Vagner Love por eles serem negros e e famílias pobres .... Parabéns para você e para seu pai, Flávio pela educação que passou para ti.......

Magnata enviou em 21/03/2010 as 10:48:

Todos nós, temos o direito de fazer aquilo que gostamos bem como, escolher nossos amigos. PS: Quem vê cara, não vê coração. Além do mais, um jogador é simplesmente uma pessoa assim como eu e você nada mais.

Ubik Homm enviou em 21/03/2010 as 13:40:

Precisamos de (ver) heróis. De verdade. Precisamos revê-los. A toda hora. E não criaturas de marquetingui. Gente-suco. Substrato. Sub-nitrato de personalidades. Precisamos de mais garis e faxineiros que acham e devolvem fortunas. Indivíduos que - mesmo sem recursos financeiros - fazem abrigos, creches, bibliotecas, escolinhas, etc. Precisamos de Gente, que se torna forte sem precisar se corromper ou - pior - se omitir diante da mesma. Ou com ela se comprometer deste, ou de outros modos. Modos esses igualmente degenerados. Putrefacentes. Precisamos ver como ser forte sem baixar a cabeça à ganância, à pusilânimidade, à mesquinharia, à omissão, ao falso conforto. Se os honestos são realmente maioria. Que se imponham. Moralmente e materialmente. Incessantemente.

fábio machado de freitas. enviou em 21/03/2010 as 21:33:

Pronunciamento do membros da União de Escritores e Artistas de Cuba e da Associação Hermanos Saíz ENQUANTO a Feira do Livro percorria nosso país e centenas de médicos cubanos salvavam vidas no Haiti, vinha se gestando uma nova campanha contra Cuba. Um delinqüente comum, com um histórico provado de violência, tornou-se "prisioneiro político", declarou-se em greve de fome para que lhe fossem instalados telefone, cozinha e televisão na cela. Alentado por pessoas sem escrúpulos e apesar de tudo quanto se fez para prolongar-lhe a vida, Orlando Zapata Tamayo morreu e converteu-se num lamentável ícone da maquinaria anticubana. Em 11 de março, o Parlamento Europeu aprovou uma resolução que "condena energicamente a morte evitável e cruel do dissidente e preso político Orlando Zapata Tamayo" e numa intromissão ofensiva em nossos assuntos internos "insta as instituições europeias a darem apoio incondicional e alentarem, sem reservas, o início dum processo pacífico de transição política, rumo a uma democracia pluripartidarista em Cuba". Com o título "Orlando Zapata Tamayo: Eu acuso o governo cubano", está circulando um chamamento para recolher assinaturas contra Cuba. A declaração assegura que este recluso foi "injustamente preso e brutalmente torturado" e que morreu "denunciando estes crimes e a falta de direitos e de democracia em seu país". Ao mesmo tempo, mente sem pudor algum quanto a uma suposta prática de nosso governo de "eliminar fisicamente seus críticos e opositores pacíficos". Em 15 de março, um jornal espanhol mostrava na primeira página o rosto de Zapata Tamayo, já defunto, no caixão, ao tempo que anunciava a adesão ao chamamento de alguns intelectuais que ligavam suas assinaturas às de velhos e novos profissionais da contrarrevolução interna e externa. Nós, escritores e artistas cubanos, estamos cientes da maneira em que se articulam, sob qualquer pretexto, as corporações midiáticas e os interesses hegemônicos e da reação internacional para prejudicar nossa imagem. Sabemos com quanta sanha e morbo se deturpa nossa realidade e a forma em que se mente diariamente sobre Cuba. Sabemos também o preço que pagam os que tentaram se expressar, a partir da cultura, com matizes próprios. Na história da Revolução jamais foi torturado um prisioneiro. Não houve um único desaparecido. Não houve uma só execução extrajudiciária. Fundamos uma democracia própria, imperfeita, é sim, mas muito mais participativa e legítima que aquela que nos pretendem impor. Não têm moral os que orquestraram esta campanha para dar-nos lições de direitos humanos. É imprescindível parar esta nova agressão contra um país bloqueado e acossado sem piedade. Portanto, apelamos à consciência de todos os intelectuais e artistas que não escondam interesses espúrios em torno ao futuro duma Revolução que foi, é e será um modelo de humanismo e solidariedade. Secretariado da União Nacional de Escritores e Artistas de Cuba (Uneac) Direção Nacional da Associação Hermanos Saíz 16-03-2010

Cubanese Democracy enviou em 22/03/2010 as 14:03:

"Na história da Revolução jamais foi torturado um prisioneiro." Tem que escrever isso na tela mesmo, pois se viesse impresso em papel, daria uma vontade irresestível de limpar a bunda com ele! Parece Maluf negando que tem conta no exterior, ou o gay enrustido Ahmadinejah falando que quer energia atômica para fins pacíficos. Toma vergonha, seus fantoches de Fidel, vocês estão defendendo uma Revolución que durou no máximo 1 ou 2 anos, antes de virar uma ditadura latino-americana de mierda igual a todas as outras!

Virgínia Meirim enviou em 22/03/2010 as 18:21:

Marcelo, meu prezado Eu que sou fão dos seus textos ácidos, objetivos, contundentes e realistas só torço para que as pessoas parem de "comer biscoito na praia" e de assistir triplo B para frequentar mais a sua coluna. Isto sim é jornalismo sério. Abraços fraternos. Virgínia Meirim

Virgínia Meirim enviou em 22/03/2010 as 18:35:

A todos aqueles que levam a termo e acreditam com 100% de certeza no lixo que a imprensa menor publica e faz em suas cabeças verdadeiras lavagens ceerebrais: A mídia podre publica fatos com certeza PORÉM, não consegue provar nada com convicção. Não vi uma única foto sequer (nem de celular!) das orgias que foram descritas. Estou esperando até agora os fatos serem provados pela acusação. Fonte muito ruim a deste jornalistazinha de merda. Alguém aqui, por acaso, conhece alguém que testemunhe os fatos recentemente publicados sobre a vida particular de Adriano? Já sei: vai aparecer um gaiato que vai afirmar que "o amigo do colega de trabalho dele disse que tem uma faxineira que conhece a vida toda do Adriano porque é amiga da outra faxineira de outro amigo que tem uma casa em Búzios e é vizinho de Adriano". É assim que as fofocas brotam. Nomes aos bois ninguém dá. Me poupem.

Luiz Alberto Viana enviou em 22/03/2010 as 20:10:

Aos defensores de traficantes, usuários e simpatizantes, prestm atenção, um passarinho azul do bico preto me contou. Existiram prisões neste caso das motos. Quem viver verá! P.S.: Não foi só uma moto foram VÁÁÁÁÁRIAS.

Virgínia Meirim enviou em 22/03/2010 as 21:29:

Sabe o que isto aqui está parecendo? Que pessoas estão se revelando. Na verdade, na verdade quem mete o malho o faz porque não ganhou moto também. Nem foi convidado para o spa da Vila Cruzeiro ou churrasco na laje. Se estivesse dentro estaria tudo ótimo. O Adriano seria o mais correto dos homens. Sabe aquela coisa do que me é bom me convém? Pois é.

Paulo César enviou em 23/03/2010 as 09:25:

Mais uma vez o seu comentário está excelente. No Brasil, as autoridades tem que parar com hipocrisias. A discriminação no Brasil é contra pobre e a discriminação racial vem a reboque. Hoje, Adriano e Love têm dinheiro, mas são de origem pobre e isso a sociedade não esquece. O problema racial não vem em primeiro plano. O social sim. No Brasil o problema é ser pobre e de origem pobre. É uma herança colonial.

Jaimisson dos Santos enviou em 23/03/2010 as 23:53:

O bRasil continua uma merda...uma grande merda...um bando de idiotas racista descriminando um ser humano...isto mesmo UM SER HUMANO!!! por que o rapaz tem cor negra...E as falsas estrela da TV QUE VIVEM NA BOCA DO POVO? E os politicos safados que roubam?Hello Arrudas, Malufs e Colors de Melo? Verdadeiros traficantes da alma humana, da mentira, da sordidez...!!!! Atire a primeira pedra quem for honesto nessa turma de vigaristas...quem mora em casa de vidro...deve tomar cuidado quando atirar pedras nos outros!!! Vergonha ...bando de sem vergonhas...negros merecem respeito...!!!

Clube de Robatas do Fomengo enviou em 24/03/2010 as 00:42:

Adriano é visivelmente um fronteiriço, à beira do retardo mental. Deve ter QI 90. Se comprou moto pra lavar $ do tráfico, é laranja, mas escapa da punição por ser parcialmente incapaz. Wagner Love já é outro departamento, cara esperto, sagaz, sabe o que está fazendo. Dois que só podiam jogar mesmo no time do Bruno, lembram do que ele fez com a namorada? E do Ronaldo Angelim, vocês ainda vão ouvir falar muito dele.

carlos augusto enviou em 24/03/2010 as 09:15:

Acho que você está fazendo demagogia ao posar de defensor dos fracos e oprimidos: Adriano e Wagner, como atletas de sucesso e ídolos da juventude, devem cuidar de sua imagem pública.

Virgínia Meirim enviou em 30/03/2010 as 00:00:

Aliás.... por anda a família daquela atriz de segunga cujo pai, empresário, está envolvido em desvio de verbas junto com o garoto que gosta de rosinhas? Tentaram publicar alguma coisa mas no dia seguinte os biscoitos da praia abafaram o caso. Ela é branca, loura e tem pai empresário. Neste caso a imprensa prefere não pereguir? Ah tá. Par os alienados de plantão refiro-me à família cujo nome começa com Se e termina com cco. Todos laranjas, uma verdadeira quadrilha. E aí? Não vai nada? O Marcelo está certíssimo com este texto. Doa a quem doer. Abraços fraternos, Virgínia Meirim

Ateísta Pedro Paulo Netto enviou em 30/03/2010 as 16:26:

Em primeiro lugar os Fatos: Estas "perversidades contra jogadores de futebol " só acontecem porque o futebol é tratado aqui como algo de suma importância, porque este é um País de Analfabetos, Racista, Sexista e portador de Mediocridade Cultural. Só se fala em futebol, se discute futebol, se briga por futebol! Até o Presidente fala em futebol, o que você esperava, que estes Não fossem cobrados pelo que são? Quando um jogador ou comentarista esportivo de futebol morre é motivo de tragédia e de ausência mas quando morre um Educador, um Cientista ou um Representante Político que realmente fez a diferença nesta Colônia Ninguém liga! Que dirá agora que esta Porcaria de coopa do mundo começar e mais a frente com esta porcaria aqui neste País gastando Nosso Dinheiro Público dos Impostos que deveriam ser utilizados para Educação, Saúde e Saneamento Básico. Jogadores de Futebol: O Clichê do Clichê. LAMENTÁVEL!

claudia enviou em 29/06/2010 as 19:28:

Sempre fico impressionada quando vejo as imagens que aparecem dos comportamentos dos jogadores do Brasil, porque como Patriotas ,que orgulho teremos de tantos atos violentos e insanos, quero saber se eles não tem a dignidade de preservar sua imagem, ou se eles pensam que a etica e a própria moral não existem, eu creio que nem isso eles tenha a noção do que seja.

Asdrúbal enviou em 08/07/2010 as 12:30:

Então um ídolo de jovens confraternizar com traficantes é moralmente aceitável ? Tá bom. http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/love-os-fuzis-e-a-fala-estupida-de-um-advogado/


Comentar

:

:
: