RSS Feeds

2 de maio de 1997 - Morre o educador Paulo Freire

Jornal do Brasil: Paulo Freire

O pedagogo respeitado mundialmente Paulo Reglus Freire começou trabalhar com alfabetização de adultos em 1961, quando trabalhava na prefeitura de Recife. Mais tarde criou o método que leva o seu nome, o qual foi adotado pela Unesco.

A primeira experiência bem sucedida com o método Paulo Freira foi realizada na cidade de Angicos, no Rio Grande do Norte, onde o educador ensinou 300 adultos a ler e a escrever em 45 dias. Sua prática de educação o aproximou da Teologia da Libertação, e abriu um novo caminho entre os educadores e os seus alunos. A pedagogia do oprimido criada por Freire fez discípulos em todo o mundo. "Minha alfabetização não foi nada enfadonha porque partiu de palavras e frases ligadas à minha experiência, escritas com gravetos no chão de terra do meu quintal", lembrou Freire.

Darcy Ribeiro explica que "Freire foi o primeiro educador a compreender que o problema não era só ensinar o analfabeto a ler. Era dar a ele a coragem de pensar com a própria cabeça".
O Programa Nacional de Alfabetização implantado por Paulo Freire foi um dos mais odiados e combatidos projetos do governo João Goulart.

Método é aclamado em todo o mundo
Com o golpe militar de 1964, Freire foi preso por 70 dias. Depois que saiu da prisão, exilou-se no Chile, onde permaneceu até 1969. A convite do então presidente chileno Eduardo Frei, implantou o Programa de Educação de Adultos naquele país e treinou padres da Juventude Agrária Católica no uso do seu método de diálogo permanente na instrução religiosa.

Depois radicou-se em Genebra. Deu aulas na universidade de Havard, nos Estados Unidos, onde era considerado um herói por dedicar-se à alfabetização dos pobres e excluídos. Assumiu em 1970, no México, o cargo de consultor especial para a educação do Conselho Mundial de Igrejas. Em 1978, o seu método, que já havia sido adotado em vários países da África, foi proibido pelo regime militar da Argentina. O educador retornou ao Brasil em 1980.
Paulo Freire morreu de enfarte, devido a complicações numa operação de desobstrução de artérias.

« anterior próximo »

Comentários


Comentários

Vitalina Gonsalves Neta enviou em 02/05/2011 as 15:16:

Que tristeza,mas as vezes um Educador q tanto lutou e batalhou neste pais,se foi para que nossa classe de Educador seja mais respeitada e valorizada,pois sem Eles ninguem chega a nenhuma profissâo.Eu alfabetizei 13 anos,5 anos de coordenaçâo e Supervisâo em 2007 no proj.Ayrton Senna,se LIGA e ACELERA BRASIL .ak em Jauru e nem fui lembrada tanto no Estado como no municipio,estavo doente c serios problemas e desde ano passado me aposentaram sem eu assinar e nem saber e Eu passando na Pericia de Cuiabà-mt e ainda os peritos me chamando de cega,surda ,muda aleijada e meus 13 Irmaos compraram c Dr;Patrice Zatar -Càceres-Mt um atestado que estou doida tanto na sociedade,profissioanal e familiar e me aposentaram desde 2010 eno final desde ainda me falaram assim;bem feito quem mandou votar nos deputados e na Dilma .E eu disse votei e voto na Dilma e como foi lindo o q Ela falou em sua posse.Meus coraçâo tà magoado com um descaso desse com uma Educadora.

olivia enviou em 03/04/2013 as 22:14:

Hoje senti saudades de Paulo Freire e refleti o quanto o Brasil perdeu com seu exílio, quando lhe suprimiram os direitos de cidadão brasileiro, como assim fizeram com tantos outros intelectuais brasileiros na época da ditadura. Pior é imaginar que ainda tem pessoas que concordam com o regime ditatorial. Paulo Freire, você deixou um legado, ainda não totalmente explorado, mas que um dia o Brasil utilizará plenamente, pq aí saberemos que a educação será prioridade.

Gervásio ulombe enviou em 27/06/2013 as 09:32:

gostei das mensagens deixadas por Paulo Freire.


Comentar

:

:
:



Hoje na História - Siga no Twitter!