Arquivo de September 2008

RSS Feeds

1960 - Pés descalços conquistam Roma

Jornal do Brasil: Domingo, 11 de setembro de 1960 - página

Membro de uma das menores delegações participantes da Olimpíada de Roma, Abebe Bikila, 33 anos, etíope, venceu descalço a Maratona Olímpica, correndo os 42.195 km em duas horas, 15 minutos, 16 segundos e dois décimos, registrando um novo recorde para a prova. O feito entrou para a história dos Jogos simbolizando o espírito olímpico da persistência, da determinação e da superação: um atleta do continente mais pobre do mundo, em processo de descolonização, ganhava descalço a maratona de Roma. Abebe cruzou a linha de chegada, sob o Arco de Constantino, com 150 m de vantagem sobre o segundo colocado, o marroquino Abdesin Radhi, e deixou para trás o favoritismo dos adversários. Sem dar mostras de cansaço, o atleta saltou e pulou de satisfação enquanto era ovacionado pelo público presente.

A medalha de ouro de Bikila foi a primeira medalha conquistada por um atleta negro africano. Este acontecimento marcou o início de uma nova era em competições internacionais de atletismo, quando os africanos passaram a dominar as provas de velocidade e de fundo. Quatro anos mais tarde, Abebe, já uma estrela do atletismo mundial, e desta vez calçado, repetiu o feito nos Jogos Olímpicos de Tóquio, e bateu o próprio recorde em mais de três minutos. Foi a consagração do primeiro corredor a ganhar duas maratonas consecutivas na história das Olimpíadas. Em 1968, no México, foi superado por um conterrâneo. No ano seguinte, tragicamente deixou de vez as pistas, ao sofrer um grave acidente de automóvel. Paraplégico, passou a viver em cadeira de rodas. Mas nem a tragédia foi capaz de ofuscar a grandeza do seu exemplo. Ainda em 1969, Abebe participou de uma prova de arco e flecha nos Jogos Stoke Mandeville, precursores dos Jogos Para-Olímpicos. Morreu aos 46 anos, em outubro de 1973.

O maratonista etíope Abebe Bikila. Reprodução/CPDoc JB

Abebe Bikila, um herói nacional

Com suas firmes passadas nos pés descalços, Abebe Bikila surpreendeu o mundo ao revelar a história do seu povo. Um país subdesenvolvido, de maioria negra e pobre, desde sempre vítima de conflitos internos, além de vítima de frequentes incursões hostis de outros povos pelo seu domínio. Instabilidade que deixou o país nas piores condições econômicas, e o povo na miséria extrema. Herói nacional, Abebe trouxe para seu país uma mensagem de esperança, retirando uma inexplicável força de superação da sola dos seus pés. O que para muitos seria um sacrifício, foi a sua realização.



Confira também:
1972 - Fittipaldi conquista o seu primeiro título na F-1


Amanhã: Em 1973 - o crime que chocou Brasília



 Comentar (1)

Hoje na História - Siga no Twitter!